X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Porque as pessoas inteligentes e preguiçosas são os melhores líderes
Liderança

Porque as pessoas inteligentes e preguiçosas são os melhores líderes

Quais são as habilidades você considera indispensáveis em um líder? Talvez você precise repensá-las.


Warren Buffet diz que procuramos, em geral, três coisas em uma pessoa: a inteligência, a energia e integridade. E se ela não têm essa última coisa, a integridade, não precisamos nos preocupar com as outras duas.

Idealmente, queremos que elas tenham os três atributos, mas as pessoas nem sempre cooperam. Essas qualidades tendem a ser difíceis de se julgar quando contratamos alguém. Então acabamos tendo todo o tipo de combinação nas empresas.

Muitos empreendedores acham que as pessoas estúpidas são o ‘pior’ tipo de pessoas. Talvez as pessoas inteligentes, mas sem integridade sejam ainda piores. Elas conhecem o sistema, jogam bem o jogo político e, muitas vezes acabam em situações complicadas. Com ou sem integridade, é mais fácil se livrar de uma pessoa que não é inteligente, do que uma pessoa inteligente.

Simplificando as coisas (e removendo a integridade dessa equação) teremos 4 combinações possíveis: estúpidos e trabalhadores, estúpidos e preguiçosos, inteligentes e trabalhadoras e inteligentes e preguiçosas.

Da esquerda para direita: Kurt von Hammerstein-Equord, o príncipe Eitel Friedrich da Prússia, Otto Hasse, Erich Raeder. Erich von Manstein, um dos principais estrategistas militar alemão de Hitler, descreve Kurt Gebhard Adolf Philipp Freiherr von Hammerstein-Equord, o ex-comandante chefe da Reichswehr como provavelmente uma das pessoas mais inteligentes que já conheceu.

Da esquerda para direita: Kurt von Hammerstein-Equord, o príncipe Eitel Friedrich da Prússia, Otto Hasse, Erich Raeder. Erich von Manstein, um dos principais estrategistas militar alemão de Hitler, descreve Kurt Gebhard Adolf Philipp Freiherr von Hammerstein-Equord, o ex-comandante chefe da Reichswehr como provavelmente uma das pessoas mais inteligentes que já conheceu.

Então, o que acontece com as pessoas inteligentes e preguiçosas?

Erich von Manstein, um dos principais estrategistas militares de Hitler, descreveu Kurt Gebhard Adolf Philipp Freiherr vom Hammerstein-Equord, o ex-comandante chefe da Reichswehr como “provavelmente uma das pessoas mais inteligentes que eu já conheci”.

Os 2 homens são amplamente creditados com a seguinte citação que chega ao cerne da questão:

“Eu divido meus oficiais em 4 grupos. Há oficiais inteligentes, diligentes, estúpidos e preguiçosos. Normalmente duas características são combinadas. Alguns são inteligentes e diligentes – seu lugar é o staff. O próximo lote é estúpido e preguiçoso – que compõe 90% de todos os exércitos e são adequados para as tarefas de rotina. Qualquer um que é, ao mesmo tempo inteligente e preguiçoso é qualificado para as funções mais altas de liderança, porque possuem a clareza intelectual e a compostura necessária para as decisões difíceis. Deve-se só tomar cuidado com o estúpido e diligente – a ele não deve ser confiada nenhuma responsabilidade, porque ele vai causar sempre problemas.”

Isso faz muito sentido.

O estúpido e preguiçoso

Você pode acomodar pessoas pouco inteligentes e preguiçosas, separando o trabalho em fatias. Fazemos isso o tempo todo, quebrando o trabalho em tarefas cotidianas, criando políticas e procedimentos que removam qualquer necessidade de julgamento.

Isso acontece, eventualmente, em todas as organizações, porque em algum momento a resposta consiste em julgamentos pobres que criam um processo e uma política burocrática. É tudo muito como num McDonald’s e essas pessoas podem ser facilmente substituíveis.

O estúpido e diligente

Von Hammerstein-Equord reconheceu que essas pessoas não prestam para nada. Para ele, elas devem ser demitidas imediatamente. Apesar das boas intenções, geralmente essas pessoas apenas criam mais trabalho para os outros.

A melhor coisa a se fazer com as pessoas estúpidas, é mantê-las fora da sua empresa.

A melhor coisa a se fazer com as pessoas estúpidas, é mantê-las fora da sua empresa.

O inteligente e diligente

Você vai querer esse tipo de pessoa ao seu redor. Provavelmente von Hammerstein-Equord pensou que essas pessoas seriam perfeitas para gerência. Isso faz sentido. Eu imagino que ele viu-as como pessoas da empresa: confiáveis e seguidoras das normas.

Ele provavelmente viu que essas pessoas não desafiam a autoridade ou se rebelam. Provavelmente, ele não estava tão certo. Muitas pessoas inteligentes que trabalham duro, ocasionalmente desafiam a autoridade. Isso acontece por algumas razões. Talvez essas pessoas fiquem frustradas com algum absurdo que veem. Dependendo da organização, não questionar é uma das formas mais rápidas de conseguir uma promoção.

O inteligente e preguiçoso

Von Hammerstein-Equord acreditou que os inteligentes e preguiçosos são aptos a liderar, porque possuem a clareza intelectual e a postura necessária para decisões difíceis.

Essas pessoas podem ser um desafio para se trabalhar junto. Elas delegam e confiam em pessoas para fazerem seus trabalhos. Elas não microgerenciam, elas questionam. Elas evitam as coisas improdutivas (reuniões, por exemplo). Elas não buscam consenso porque muitas vezes isso significa mais trabalho, e não menos. Eles se concentram em algumas prioridades. Eles não correm por aí com soluções à procura de problemas.

Muitas vezes, essas pessoas não têm nenhum desejo de subir nas organizações. Isso lhes dá a liberdade para serem diferentes.

Considerando o quadro acima, é interessante contemplar as consequências das combinações dentro dos empregos.

___

Este artigo foi adaptado do original, “Why Clever And Lazy People Make The Best Leaders”, do Business Insider.

Comente este artigo

Populares

Topo