X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

maxresdefault
Liderança

Trabalhe sobre projeções realistas

Planejar, projetar, especular é fundamental. Mas jamais esqueça da realidade.


Todos nós, evidentemente, sonhamos, muitas vezes antecipamos e projetamos objetivos grandiosos para nossos empreendimentos, e em não raras ocasiões. E, ainda que ser expansivo e cheio de propósitos se constitua em um hábito salutar, jamais esqueça de alicerçar todos os seus planos na realidade. Por quê? Porque isso irá evitar frustrações desnecessárias. E ter uma noção correta de nossas limitações enquanto seres humanos é sempre interessante, ainda mais de um ponto de vista prático. Isso nos permite ser mais produtivos, e nos concentrar naquilo que realmente podemos fazer.

Mas, afinal, o que é a realidade?

Por mais absurda e aparentemente irrelevante que esta pergunta possa parecer, é fundamental para cada um de nós compreendermos a nossa realidade específica, dentro do diagrama conjuntural no qual estamos inseridos, especialmente na questão profissional, mas não se reduzindo a ela, pois muitas vezes os aspectos pessoas e profissionais de nossas vidas misturam-se. Esta compreensão serve para aguçar nossas percepções e nosso discernimento, de maneira que somos levados a entender que, muitas vezes, nem tudo aquilo que projetamos ou idealizamos será possível concretizar no mundo real. Por mais banal ou insignificante que esse conceito pareça, ter um entendimento cabal desta questão é primordial, pois desta maneira evitaremos desgastes, extenuações e frustrações.

Pense da seguinte maneira: se um projeto seu não se concretizar, por mais dedicação, eficiência e empenho que você tenha empregado, quais serão as consequências emocionais no seu caso? Você ficará deprimido? Abatido? Desolado? Angustiado? Aflito? Frustrado? Se sentirá um fracasso? Ou irá se recompor rapidamente e iniciar um novo trabalho? Irá riscar este capítulo da sua vida e passar para a próxima etapa?

É muito interessante a contraposição existente entre aquilo que idealizamos em nossa vida, e aquilo que realmente somos capazes de executar no exasperante e aflitivo mundo real. Criar projetos e objetivos no plano das ideias é muito fácil, e muitas vezes, contagiados pelo entusiasmo inicial – que eventualmente se dilui – não nos damos conta disso. Executar todos os nossos planos e projetos no mundo real, no entanto, é uma questão completamente diferente. Algumas pessoas cometem o erro de sentirem-se excessivamente ressentidas e frustradas quando não atingem os seus objetivos, e desenvolvem uma autoimagem negativa, vendo a si próprias como fracassadas e desistentes. Não devemos incorrer neste erro. Tão contraproducente quanto destrutivo, este tipo de comportamento, por mais difícil que possa ser erradicá-lo, não leva ninguém a lugar algum. Você deve ter uma visão clara e realista de quem você realmente é: um ser humano. E seres humanos não vencem o tempo inteiro. Muito pelo contrário. Os seres humanos tem que conviver com amargos fracassos e com derrotas difíceis o tempo inteiro. Mas um fracasso só será realmente amargo se você permitir que ele o atinja. Você pode escolher aprender com ele, e seguir adiante, mesmo que não seja fácil, e passar para a próxima etapa de sua vida. Compreender a realidade envolve basicamente duas coisas: reconhecer nossas limitações enquanto seres humanos, e as enormes dificuldades que pulverizam a realidade.

Seres humanos verdadeiramente vencedores são aqueles que sabem administrar e lidar muito bem com experiências insatisfatórias, a ponto até mesmo de tirar delas uma boa lição. Lembre-se: você não é perfeito, e foi atirado a este mundo, não por opção sua, mas sem o seu consentimento, e sem um manual de instruções. Portanto, é natural incorrer em erros na turbulenta e imprevisível jornada que é a vida. Fundamental é aprender a ver o lado fascinante e criativo tanto de suas experiências quanto do mundo em geral. Desta maneira, não existirá barreira nenhuma ao seu crescimento interior, e, posteriormente, à sua própria felicidade e senso de propósito e realização.

Devemos levar a vida de forma leve e descontraída tanto quanto for possível. Uma dica muito útil neste quesito é jamais ficar obcecado pelo sucesso. O sucesso é algo estrondosamente passageiro, e, no mundo de hoje, onde as informações correm a uma velocidade cada vez mais estertorante, mesmo que você se destaque na sua área de atuação, em duas semanas as pessoas não mais se lembrarão de você. Quer um exemplo? Você se lembra quem ganhou, no ano passado, o Oscar de melhor ator? Quem foi medalha de ouro no judô feminino nas Olimpíadas do Rio de 2016? Quem conquistou o título de empreendedor do ano na sua cidade? Com certeza, você não tem a menor ideia de quem ganhou estes prêmios (procurar no Google não vale). Por quê? Porque sua vida, evidentemente, gira em função de outras prioridades. E a vida de todas as outras pessoas também. A fama é, quase sempre, uma conquista efêmera. Feliz é aquele que trabalha com perspectivas realistas, sem exigir demais de si mesmo, mas também, sem esperar de menos. Estas pessoas são as que realmente agregam valores tangíveis e intangíveis aos seus clientes e associados, dentro da área em que atuam. A melhor dica para uma jornada profissional salutar e produtiva é esta: comece pelo possível, e simplesmente não pare, tampouco olhe para os lados. Antes que você possa se dar conta, terá superado dificuldades que nem sequer cogitava conseguir vencer.

Trabalhar sobre projeções realistas vai lhe poupar muito esforço desnecessário, além de um grande excedente de frustrações e exasperações. No entanto, isso não significa de maneira alguma que você não deva ser ousado, audacioso, inovador ou inventivo, ou que deva trabalhar permanentemente acomodado em uma letárgica e ordinária zona de conforto. Arriscar-se é sempre interessante. Foi muitas vezes arriscando na base do tudo ou nada que os melhores produtos do mercado foram criados. Contanto que você calcule os riscos, e defina a realidade – que o obrigará a relevar todos os pontos contra e todos os pontos a favor – como padrão de referência para todos os seus projetos, você pode, sim, ousar, ser criativo, imprevisível, inovador e diferente. Apenas nunca permita que projeções idealistas ofusquem resultados realistas.

Comente este artigo

Populares

Topo