X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Destaques

Qual seu plano do mal?

evil plans hugh macleod splash image

Um novo livro analisa via cartoons a vida e inspiração dos empreendedores. Vale a pena aqui no Jornal do Empreendedor.



evil-plans-hugh-macleod-no jornal do empreendedor

'Evil Plans', um manifesto de negócios feito em cartoons.

Em seu novo livro, Evil Plan: Divertindo-se na jornada para a conquista do mundo, Hugh MacLeod ensina-nos a um ganhar a vida fazendo o que amamos. Neste texto, o autor mostra-nos os bastidores de assumir a vida e a felicidade.

“Nunca foi tão fácil ter uma vida fazendo o que ama. Mas para que isso aconteça, primeiro você precisa de um plano maligno. Todo mundo precisa de um para ficar longe de chefes ruins, de postos de trabalho chato, de becos sem saída que odeia, e enfim começar a fazer algo que ama, algo que interessa. A vida é curta.”, Hugh MacLeod

Quando MacLeod veio a Nova York, ele não tinha nada além de uma mala, algumas caixas, e uma reserva no YMCA, academia de ginástica local. O redator de sorte e conseguiu um freelance que virou emprego e sua vida ficou muito boa. Mas como o trabalho começou a crescer e empilhar-se, as recompensas tornaram-se cada vez menores. Claro que o dinheiro era bom e a cidade era demais, mas ele estava cansado e insatisfeito.

Foi tudo ‘pro saco’. Como ele poderia sair da ‘corrida des ratos’  e reavivar a sua paixão? Rabiscando no verso de cartões de visita, é claro! Empoleirado em seu banco de bar favorito, o aspirante a artista ficou horas esboçando espirituosas tomadas da vida de um empreendedor.

Exausto e desesperado para a mudança, começou o seu “Evil Plan”. Tudo que precisava era fazer o trabalho que 10.000 pessoas por ano deveriam comprar para que ele se sustentasse. Vendendo seu esboços on-line, ele poderia escapar de publicidade e partilhar a sua arte com o mundo. Ele começou seu blog e começou a vender sua arte. E a coisa realmente funcionou.

Garoto rico Jornal do empreendedor

E então? Qual o maldito modelo de negócios?...O maldito modelo de negócios é você...riquinho.

O dinheiro faz muitas coisas, mas não pode fazer um plano de negócios ruim, melhor. Esboçado como uma piada para um amigo rico que sempre foi atropelado se de aplicações financeiras, MacLeod sugere que ter dinheiro por si só não é o melhor modelo de negócio. Você precisa de um plano real. “As pessoas estão procurando um caminho fácil e dinheiro não é a resposta”, o autor e artista diz a revista americana Fast Company.

Se você não fosse tão estúpido...

Se você não fosse tão estúpido, eu poderia te explicar quão estúpido você é.

Tentando escapar dos assassinos de sonhos? Às vezes, eles vivem do seu lado. Muitas das grandes idéias deMacLeod foram derrubados pelas pessoas na agência de publicidade que simplesmente não entenderam-as. “As pessoas querem destruir a sua idéia, porque eles não são inteligentes o suficiente para entendê-la “, diz ele.

George

George está mudando o sistema pelo lado de dentro!

Você tem que se comprometer com seu plano maligno para que ele funcione. Risco real é uma mudança real e ser desconfortável. “Trate de pensar que você vai ter as duas coisas”, MacLeod diz. “Você não pode agitar as coisas sem arriscar nada.”

Fazer um monte de gente te odiar é fácil.

Fazer um monte de gente te odiar é fácil.

Depois de chocar o seu plano maligno e deixar de vazar na rede de segurança corporativa, as pessoas terão muito a dizer. Odiosos adoram odiar. O plano de MacLeod não foi bem recebido por todos,especialmente quando ainda era pobre e perseguia o seu sonho: “É mais fácil ver o fracasso moral nas outras pessoas, do que corrigir a si mesmo”, diz ele.
Você abraçou seu cliente hoje?

Você abraçou seu cliente hoje?

Como um consultora de software empresarial, a mãe MacLeod demorava mais tempo a cada dia com seus clientes para mostrar que ela se importava. Cada cliente tinha de se sentir especial e saber que ela estava trabalhando para eles. Como sua mãe, MacLeod atua na construção de relações de seu cliente. “Eu realmente me preocupava com o que estávamos fazendo”, diz ele.

inspire e seja inspirado.

Inspire-se e seja inspirado.

Inspiração é cíclico e sua paixão deve ser compartilhada com o mundo. “Essa é a vida do artista. Você não pode inspirar sem ser inspirado em primeiro lugar,” disse MacLeod. Grandes artistas têm de ser inspirado por alguém ou algo e, geralmente, é o que você acredita pra si mesmo.
Lamentar-se não é uma estratégia de saída

Lamentar-se não é uma estratégia de saída.

Não se gera nenhum resultado no mundo adulto ao se lamentar. Isso só te cansa e irrita as pessoas ao seu redor. MacLeod acredita que seu plano de incubação deverá ser de trabalho árduo. “As pessoas usam a lamentação como uma substituição para uma ação efetiva”, diz ele.
Todos os empreendedores são aspirantes a empreendedor.

Todos os empreendedores são aspirantes a empreendedor.

Empresários verdadeiros nunca param de edificar suas inovações e novas idéias. Quer se trate de Bill Gates ou o dono de uma lojinha, eles estão sempre tentando fazer algo novo. É na sua natureza e não é por dinheiro.
Você é o próximo Google?

Você é o próximo Google? Não, eu sou um peixe dourado.

Um peixe pode ser apenas um peixinho. No setor de tecnologia cada startup quer se tornar a próxima Microsoft ou uma Google, mas esse caminho não é para todos. Nem tudo precisa ser grande para ser grande. “Nós não precisamos sempre de uma referência anterior”, disse MacLeod.
Meu trabalho é grátis. Eu ganho por gerir emails.

Meu trabalho é grátis. Eu ganho por gerir meus emails.

A união de sua paixão e fazer aquilo que ama custa um preço. As tarefas rotineiras, como responder e-mails e cortejar as pessoas importantes, faz parte do processo. Você pode ter a sua arte, mas ainda exige um trabalho duro.
Texto publicado pelo site da revista Fast Company.

O livro “Evil Plans. Having fun on the road to world domination.” é vendido na Amazon.

Abaixo uma entrevista com Hugh MacLeod, cara bacana e estranhíssimo:

Planos diabólicos. Divertindo-se na jornada para a conquista do Mundo.

Planos diabólicos. Divertindo-se na jornada para a conquista do Mundo.

Comente este artigo

Populares

Topo