X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Tecnologia e Inovação

Metodologia lean e o impacto nos negócios

Lean Startup

A metodologia lean vem moldando uma nova maneira de criar, desenvolver e gerir os negócios. E isso vale não apenas para as startups

A metodologia lean vem moldando uma nova maneira de criar, desenvolver e gerir os negócios. E isso vale não apenas para as startups

Este artigo é a continuação de 2 artigos que publicamos na semana passada: Porque lean startup muda tudo e a introdução, Se os MBAs não valem nada, estamos em apuros.

O lean startup está mudando aos poucos a linguagem das startups e isso tem impacto positivo no mundo do empreendedorismo.

Hoje as pessoas estão empreendendo mais do que nunca. Por mais difícil que os obstáculos, a validação do negócio, a conquista de clientes e o lucro esteja distante da realidade das empresas, ainda assim, o caminho para empreender está mais fácil do que nunca esteve.

Durante os boom das startups pontocom, muitas vezes operando em modo invisível – para evitar alertar os potenciais concorrentes de uma oportunidade de mercado – os protótipos eram validados por clientes em modo beta tester.

A metodologia lean startup faz desses, e de muitos conceitos de empreendedorismo, coisas absolutamente obsoletas, porque afirma que, na maioria dos mercados, o feedback dos clientes é mais importante que o sigilo.

O feedback constante de clientes e usuários produz melhores resultados do que invenções secretas.

Esses 2 preceitos fundamentais de feedback e validação de negócios. Steve Blank esteve envolvido no lançamento de 8 startups de tecnologia como fundador ou colaborador.

Quando ele mudou para a carreira acadêmica, há aproximadamente 10 anos atrás, ele elaborou a fórmula para o desenvolvimento do cliente descrito nos artigos anteriores.

Em 2003 ele estava ministrando esse curso na Haas School of Business da Universidade da California, em Berkeley.

Em 2004, quando Blank investiu em uma startup fundada por Eric Ries e Will Harvey e, como condição para o investimento, insistiu que o seu curso fosse ministrado aos empreendedores.

Eric reconheceu rapidamente que o desenvolvimento tradicional de produtos na indústria linear de tecnologia deveria ser substituído por técnicas iterativas ágeis.

Ele também viu semelhanças entre este conjunto emergente de metodologias de startup e o sistema de produção da Toyota, que se tornou conhecido como lean manufacturing (produção enxuta).

Eric, ao fazer um trocadilho entre o modelo da Toyota e a combinação de desenvolvimento de clientes cunhou o termo lean startup.

A ferramenta foi popularizada por uma série de livros de sucesso. Em 2003, Steve Blank escreveu “The Four Steps to the Epiphany”, articulando, pela primeira vez, que startups não são versões menores de grandes empresas e que o processo de desenvolvimento de clientes é o detalhe que faz a diferença.

Em 2010, Alexander Osterwalder e Yves Pigneur deu aos empreendedores a estrutura padrão para os modelos de negócio no “Business Model Generation”.

Eric, em 2011 publicou um resumo da metodologia lean em “The Lean Startup”. E, em 2012 Bob Dorf e Steve Blank resumiram o que aprenderam sobre as técnicas de empreendedorismo em um manual passo-a-passo chamado, “The Startup Owner’s Manual”.

O método lean startup agora é ensinado em mais de 25 universidades e através de cursos onlines populares no Udacity.com.

Além disso, em quase todas as cidades ao redor do mundo, é possível encontrar organizações como o Startup Weekend, introduzindo o método lean em centenas de potenciais empreendedores 1-a-1.

Nessas reuniões, uma sala cheia de equipes de startups podem percorrer meia dúzia de produtos potenciais em questão de poucas horas.

Embora pareça incrível para as pessoas, nesses eventos, algumas startups são geradas em uma sexta-feira à noite e estão gerando receita real no domingo à tarde.

Síntese da metodologia lean.

Síntese da metodologia lean.

Economia da inovação: a criação do modelo de empreendedor

Enquanto alguns adeptos afirmam que a metodologia lean pode fazer as startups terem mais sucesso, acreditamos que essa afirmação é muito generalizada.

O sucesso é baseado em muitos fatores para que uma metodologia possa garantir que qualquer startup que recebe investimentos seja uma vencedora.

Mas com base em que se vê hoje, um mundo com centenas de milhares de startups, em programas que ensinam os princípios lean e de empresas estabelecidas que os praticam, é possível fazer uma conclusão mais verdadeira: a utilização de metodologia lean em todas as startups irá resultar em menos falências do que usando os métodos tidos tradicionais de desenvolvimento de negócios.

A taxa de falência menor em startups poderia ter consequências econômicas profundas. Hoje, as forças de ruptura, globalização e regulação estão forçando as economias de todos os países.

Indústrias estabelecidas estão rapidamente anunciando demissões em massa e extinção de cargos que, nunca mais existirão.

O crescimento dos empregos no século XXI terá de vir de novos empreendimentos, por isso, todos nós temos um interesse em promover um ambiente que pode nos ajudar a ter sucesso, crescer e contratar mais trabalhadores.

A criação de uma economia de inovação, que é impulsionada pela rápida expansão de startups nunca foi tão imperativo.

No passado, o crescimento do número de startups era restringido por 5 fatores:

  • Alto custo de obtenção do primeiro cliente e custo maior ainda de produção de um produto “errado”.
  • Longos ciclos de desenvolvimento de tecnologia.
  • Número limitado de pessoas dispostas a correr riscos inerentes à fundação de novos negócios, ou trabalharem em startups.
  • Estrutura de capital de riscos, em que poucas empresas eram necessárias para investir grandes somas em poucas startups para ter retorno significativo.
  • A concentração de conhecimento real de como construir empresas estava concentrado em países como Estados Unidos e regiões como a Europa.

A estratégia lean startup reduz as 2 primeiras restrições, ajudando novos empreendimentos a lançar produtos que os clientes realmente querem, de maneira muito mais rápida e barata do que os métodos tradicionais e o terceiro, fazendo com que criar startups seja algo mais arriscado.

A combinação de todas essas forças está alterando a paisagem empresarial.

Hoje, softwares de código aberto, como GitHub, e serviços em nuvem como o Amazon Web Services reduzem o custo de desenvolvimento de softwares.

As startups não precisam construir as suas fábricas, já que os fabricantes offshore estão facilmente acessíveis.

Na verdade, tornou-se bastante comum ver jovens empresas de tecnologia que praticam os mandamentos lean startup oferecerem produtos que são simplesmente bits e códigos pela App Store ou Google Play ou produtos produzidos na China.

A disponibilidade instantânea de informação também é um benefício para os novos empreendedores.

Antes da internet, os novos empreendedores só teriam conselhos sobre seus negócios quando pudessem tomar um café com investidores experientes ou empreendedores de sucesso.

Hoje, o maior desafio é a classificação da grande quantidade de conselhos e ensinamentos que as startups recebem.

Os conceitos lean fornecem uma estrutura que ajuda a diferenciar o bom do ruim.

Técnicas lean startup foram inicialmente projetadas para criar empreendimentos de rápido crescimento.

Mas, certamente seus conceitos são igualmente válidos para a criação da principal via das pequenas empresas que compõem maior parte da economia.

Se todo o universo dos pequenos negócios fosse abraçado, suspeitamos  que isso iria aumentar o crescimento e a eficiência dos negócios e ter um impacto imediato sobre o PIB e os empregos.

Os programas de MBA estão adotando as técnicas lean. Durante anos, eles ensinaram alunos a aplicar abordagens de grandes empresas, tais como métodos de contabilidade para acompanhar a receita de fluxo de caixa e as teorias organizacionais sobre gerenciamento de empresas.

No entanto, startups enfrentam problemas completamente diferentes. Agora, as escolas de negócios estão percebendo que os novos empreendimentos precisam de suas próprias ferramentas de gestão.

Como as escolas de negócios abraçando a distinção entre gestão e busca por modelos de negócios, eles estão abandonando o plano de negócios como o modelo para a educação empreendedora.

E as competições de planos de negócios que têm sido uma parte célebre da experiência dos MBAs por mais de 1 década, estão sendo substituídas por concursos de modelos de negócios.

Diferença entre a metodologia lean e a metodologia tradicional.

Diferença entre a metodologia lean e a metodologia tradicional.

 

A nova estratégia para a sociedade do século XXI

Já está ficando claro que as práticas enxutas de startup não são apenas para jovens empreendedores de tecnologia.

Corporações passaram os últimos 20 anos, aumentando a sua eficiência, reduzindo o custo. Mas, simplesmente se concentrar em melhorar os modelos de negócios existentes não é mais suficiente.

Quase toda grande empresa entende que precisa lidar com ameaças externas cada vez maiores, inovando continuamente. Para garantir a sua sobrevivência e crescimento, as empresas precisam manter novos modelos de negócios.

Este desafio exige estruturas e habilidades organizacionais completamente novas.

Ao longo dos anos, os especialistas gerenciais como Clayton Christensen, Rita McGrath, Vijay Govindarajan, Henry Chesbrough, Ian MacMillan, Alexander Osterwalder e Eric von Hippel têm avançado o pensamento sobre como as grande empresas podem melhorar seus processos de inovação.

Os primeiros 100 anos de ensino de gestão focado em estratégias e ferramentas que formalizaram a execução e a eficácia das empresas existentes.

Agora, temos o primeiro conjunto de ferramentas para a busca de novos modelos de negócios como o lançamento de novos negócios.

A metodologia lean ainda chegou a tempo para ajudar às empresas existentes a lidar com forças de perturbação contínua e com o desafio de permanecer inovado e crescendo.

No século XXI, as forças farão com que as pessoas em todos os tipos de organizações (startups, pequenas empresas, grandes empresas e governo) sintam a pressão das mudanças rápidas.

A abordagem lean startup irá ajuda-los a enfrentar tudo isso de frente, inovar rapidamente e transformar os negócios tal como conhecemos…

___

Este artigo foi adaptado do original, “Why the Lean Startup Changes Everything”, de autoria de Steve Blank, e publicada na Harvard Business Review.

Comente este artigo

Populares

CONTEÚDO EXCLUSIVO. TÁTICAS UTÉIS. EMPREENDEDORISMO COMO NENHUM OUTRO.

Para fechar esta janela, clique na área escura.

CLOSE
Topo