X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Vida Saudável

Quer ser mais criativo? Que tal uma caminhada?

Quer ser mais criativo? Que tal uma caminhada?

Caminhar pode ajudar a tornar as pessoas mais criativas. Entenda o porquê


Caminhar pode ajudar a tornar as pessoas mais criativas. Entenda o porquê

Se você é incapaz de pensar de uma maneira cativante e criativa, faça uma caminhada.

Um breve passeio, mesmo em volta de seu escritório, pode aumentar significativamente a criatividade, de acordo com um novo estudo prático.

A maioria de nós já ouviu falar  que os exercícios, incluindo a caminhada, geralmente melhoram as habilidades do pensamento, tanto de imediato quanto de longo prazo.

Vários estudos têm mostrado que os animais e as pessoas costumam ter  melhores desempenhos em testes de memória após se exercitarem e melhoram a função executiva que é essencialmente, a capacidade de tomar decisões e organizar pensamentos.

Da mesma forma, o exercício físico tem sido ligado informalmente à criatividade.

Por milênios, os escritores e artistas disseram que desenvolveram suas melhores ideias durante uma caminhada, embora alguns de nós também consigam fazer o seu melhor adiando essa atividade.

Mas apenas uma pequena parcela da ciência apoiou a ideia de que o exercício auxilia na criatividade.

Assim, os pesquisadores da Universidade de Stanford decidiram recentemente testar essa possibilidade, inspirados, em parte, em seus próprios passeios.

Meu conselheiro e eu gostavámos de  fazer caminhadas para discutir temas de teses, disse Marily Oppezzo, E um dia eu pensei: bem, que tal fazer isso? Que tal caminhar e ver se isso realmente tem algum efeito sobre a criatividade?

Com o apoio entusiástico de seu assessor, Daniel Schwartz, professor da Stanford Graduate School of Education, Dra. Oppezzo recrutou um grupo de estudantes graduandos e se preparou para constatar se poderia medir seu nível de criatividade.

A caminhada é muito importante para a criatividade, aponta estudo.

A caminhada é muito importante para a criatividade, aponta estudo.

Reunindo seus voluntários em uma sala intencionalmente monótona, sem decoração, equipada apenas com uma mesa e (uma pouco incomum) esteira, Dra. Oppezzo pediu aos alunos para se sentarem e fazerem testes completos de criatividade, que nos círculos psicológicos envolvem tarefas como chegar rapidamente à uma alternativa utilizando objetos comuns, como um botão.

Em seguida, os participantes caminharam na esteira, em um ritmo fácil já programado que os faziam se sentirem confortáveis.

A esteira estava voltada para uma parede branca. Enquanto caminhavam, cada aluno repetiu os testes de criatividade, realizados em cerca de oito minutos.

Em quase todos os alunos, a criatividade aumentou substancialmente enquanto eles caminhavam. A maioria era capaz de gerar cerca de 60% mais usos para um objeto, e as ideias ficaram novas e apropriadas, Dra. Oppezzo escreveu em seu estudo, que foi publicado no The Journal of Experimental Psychology: aprendizagem, memória e cognição.

Mas a importância prática dessa descoberta parece ser insignificante, se a criatividade aumentasse somente enquanto alguém caminha.

A maioria de nós não pode realizar sessões de brainstorming em esteiras. Por isso, em sequencia, a Dra. Oppezzo testou se os efeitos permaneciam após a caminhada terminar.

Um outro grupo de estudantes se sentou por 2 sessões consecutivas para realização de testes e, posteriormente, caminharam por cerca de 8 minutos enquanto trocavam ideias, e então se sentaram e repetiam o teste.

Mais uma vez, caminhar nitidamente melhorava a capacidade das pessoas para gerar ideias criativas, mesmo quando elas se sentavam após a caminhada.

Nesse caso, os voluntários que haviam caminhado produziram um número significativamente maior e subjetivo de ideias melhores do que em seu período de testes no pré-exercício.

Finalmente, para examinar outra implicação no mundo real de caminhar e sua relação com a criatividade, Dra. Oppezzo moveu partes da experiência ao ar livre.

A maioria das pessoas provavelmente acham que andar ao ar livre deve ser muito melhor para a criatividade  do que andar dentro de um escritório monótono.

Mude suas reuniões para uma caminhada ao ar livre. Vai fazer bem não apenas à saúde.

Mude suas reuniões para uma caminhada ao ar livre. Vai fazer bem não apenas à saúde.

Mas, surpreendentemente, seu estudo minou essa suposição. Quando os voluntários fizeram um passeio agradável no arborizado campus de Stanford por cerca de 8 minutos, eles geravam ideias mais criativas do que quando eles estavam sentados.

Mas eles não ficavam visivelmente mais criativos, como resultado de sua caminhada ao ar livre do que quando, posteriormente, andaram sobre uma esteira coberta, de frente para uma parede branca.

Isso realmente mostra que é a caminhada que importa, em termos de estimular a criatividade, e não a sua definição.

Mas de que maneira um breve passeio descontraído altera os vários processos mentais relacionados com a criatividade ainda não está claro, Dr. Oppezzo acrescenta.

Pode ser que a caminhada melhore o humor, como se fosse seu principal efeito, ela diz, e flores de criatividade crescem mais facilmente dentro de uma mente impulsionada.

Ou caminhar pode desviar a energia que de outra forma seria dedicada, intencionalmente ou não, para o amortecimento selvagem do pensamento criativo, disse ela.

Eu acho que é possível que a caminhada possa permitir que o cérebro rompa alguns de seus próprios filtros.

Mas essas são apenas algumas das muitas explicações prováveis.

___

Este artigo foi adaptado do original, “Want to Be More Creative? Take a Walk”, do Well.

Comente este artigo
Comente este artigo

Populares

Topo