X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Novidades pela net

5 razões porque um blog corporativo fracassa 3/5


“Ai de mim! Toda música sofre quando uma alma está desafinada.” – Miguel de Cervantes

Criar uma estratégia sólida para seu blog e usar uma linha de conteúdo que seja diferente da propaganda tradicional são dois fatores chave para quando estiver começando um blog corporativo. Se você respeitar esses dois conselhos, você já está na direção certa…mas ainda assim, você não vai se destacar.

Para se destacar e ter certeza que os leitores irão voltar e se engajar, você não pode apenas oferecer uma boa estratégia e textos: você precisa se tornar um expert em escrita de blogs. Isso significa que você precisa trabalhar mais nos detalhes “finos” de sua estratégia.

O primeiro desses detalhes é o tom do seu blog.

Achando o tom do seu blog é como achar o tom da música quando se canta.

Ou você acha o tom ou seu blog não vai se destacar.

3. Usando o tom errado em seu blog

Para entender a diferença entre seu conteúdo e o tom – ou voz, pense em uma música. Se você tiver uma boa letra mas, ela estiver sendo cantada no tom errado, vai ser um desastre, não?

É o mesmo com blogs. Alguns tons simplesmente não funcionam ou soam desafinado. Eu vejo muitas empresas boas que não definiram corretamente o tom na escrita de seus blogs. Embora as mensagens sejam boas, o tom de voz errado faz com o que o blog simplesmente não funcione.

Aqui vão alguns dos erros mais comuns que eu encontro frequentemente em blogs corporativos que erram seu tom de voz:

Não finja que sua marca pode falar

Como já mencionamos, uma das principais coisas que um blog corporativo traz para sua empresa é um pouco de humanidade. Ela possibilita que você mostre para seus consumidores que há pessoas para responder por suas necessidades…seres humanos que se importam com você. O problema é que se você assinar o post com a sua marca, você simplesmente perde esse efeito.

Por isso, quem escreve o post deve ser um autor humano e não uma marca. É isso que as pessoas esperam de um blog verdadeiro. Elas esperam ver seu ponto de vista, seu texto. Eles querem saber mais sobre as personalidades que dirigem a empresa e, dar a elas essa visão gera mais credibilidade e um relacionamento franco.

Esta atitude também deve ser usada em outras plataformas sociais. Eu recomendo sempre que possível utilizar seus perfis pessoais ao invés do perfil da empresa para comentar ou “curtir”. É importante compartilhar seus pontos de vista pessoais com seus consumidores ou potenciais consumidores. As marcas não podem “curtir” e não falam na primeira pessoa. Elas são instituições.

Não finja ser a sua marca

Não dar uma voz para sua marca não significa que você deve substituí-la por sua própria voz e imagem. Eu vejo muitos empreendedores que tendem a usar seu blog corporativo como seu blog pessoal ou como um diário. Sim, as pessoas querem ler alguns segredos de bastidores sobre a sua empresa mas você não se deve ir tão longe. Ser muito pessoal irá atrair leitores.

Entretanto, isso pode ter um impacto bastante negativo na imagem da sua empresa: isso não apenas irá fazer sua imagem pessoal superar a de sua marca aos olhos dos leitores mas irá fazê-los voltar a seu blog não para ter informações sobre determinados assuntos ou para fazer parte da comunidade mas sim, para achar fatos sobre essas intimidades. Portanto, isso iria destruir sua estratégia inicial que era construir liderança, reconhecimento de marca e criar uma comunidade.

Novamente, esta atitude deve ser usada nas outras plataformas de mídias sociais também. Você não conseguiria contar o número de contas de Twitter que possuem o rosto de seus CEOs como avatar. Fazendo isso você está tirando a possibilidade da empresa criar uma marca forte. Não faça sua marca se basear totalmente em sua imagem pessoal. São duas “personas” distintas que se complementam.

Pense na forma como Steve Jobs e a Apple se compôs. Você nunca viu a foto do Steve Jobs como avatar ou marca da Apple, viu? Embora você associe uma a outra, elas sempre se compuseram, cada qual em seu papel.

Não finja ser um blogueiro

A melhor manteira de evitar os erros mencionados acima é contratar um gerente de mídias sociais ou um jornalista especialista para escrever para você. A maioria das empresas pequenas que eu conheço pede para o diretor de marketing ser o escritor em seu blog.

Ter o CEO ou diretor de uma empresa escrevendo artigos pontuais é realmente importante para construir uma imagem corporativa forte e esses posts devem ser focados na experiência profissional do executivo mas um executivo deste nível não deve ser a pessoa que escreve sobre o dia a dia da empresa.

Achar o equilíbrio certo entre ser líder, criar reconhecimento de marca e construir comunidade em um blog é uma arte difícil. Um gerente de mídia social não apenas achará esse equilíbrio sutíl mas também dará um tom aos posts que seja condizente com a sua estratégia maior. Por exemplo, usar um tom mais formal é bastante eficiente para se criar a sensação de liderança mas pode ter um impacto negativo na construção de comunidades. Da mesma forma, um tom muito causal pode ajudar a construir comunidade mas pode arranhar sua construção de liderança.

Ache a voz do seu blog

Concluindo, para fazer um blog se destacar você precisa desenvolver cuidadosamente sua estratégia e seguí-la religiosamente. Você deve sempre ter em mente suas metas inicias e estratégia de conteúdo e construir sobre isso uma voz que irá se harmonizar com o seu plano e dar uma unidade ética e simpática ao conjunto.

Como vimos neste artigo, o primeiro segredo de um blog corporativo de sucesso é uma voz suave: nós sempre somos mais receptivos a um cantor com uma boa voz do que a alguém que canta desafinado ou estridente demais.

Entretando, a receptividade também depende de outro fator que não pode ser esquecido: a Experiência do Usuário, também chamada de UX (User Experience). Não perca na próxima semana!

PS: Pra quem ficou com saudades do nosso querido Pavarotti, aqui vai uma inspiração sublime e um recordo.

cfc DZoXvUIGBuA

Via RSS de YOW I Soluções para Inbound Marketing

Leia em YOW I Soluções para Inbound Marketing

Comente este artigo
Comente este artigo

Populares

Topo