X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Novidades pela net

A volta dos cartões escritos à mão


papo_escritoamao

Muito falamos sobre as plataformas eletrônicas usadas para fazer e manter contato com o cliente. E é claro que o próprio freguês está bastante acostumado a usar computadores, smartphones e tablets para fazer anotações e se comunicar. Mas o que aconteceu com a escrita à mão?

MP Mueller, fundador da agência de publicidade americana Door Number 3, contou em sua coluna no site do New York Times que recentemente topou com um cartão postal escrito à mão. A correspondência fora enviada a um cliente pela butique DuO. O freguês ficou tão impressionado com a delicadeza que tirou fotos do cartão e a enviou aos amigos.

De acordo com Mueller, enquanto a tecnologia avança adiante, as pessoas sentem falta desses pequenos toques, como refeições feitas em casa e bilhetes personalizados. E os pequenos negócios podem aproveitar essa oportunidade mostrando que são mais pessoais do que os grandes concorrentes.

O próprio publicitário já passou por uma situação assim. Depois de convidar para um almoço um especialista em mercado imobiliário, ele recebeu um envelope bege, feito de papel de qualidade, decorado com as iniciais do executivo. Com uma caligrafia elegante, o especialista agradeceu pelo almoço e retomou alguns pontos conversados na ocasião. Mesmo um experiente profissional de marketing como Mueller ficou impressionado com o contato. Resultado: a Door Number 3 ganhou também seu próprio estoque de papéis de carta.

A estratégia funciona? Mueller conversou com uma representante da loja DuO sobre a eficácia do cartão postal. Amy Ewing contou que pergunta aos clientes se querem se inscrever no seu programa VIP. Esses fregueses são convidados para eventos especiais da loja ou encorajados a trazer o cartão para obter descontos. Como as pessoas raramente recebem bilhetes pelo correio, sentem que foram lembradas. E, assim, a pequena loja se diferencia das grandes.

Talvez essa seja uma maneira interessante de usar o cadastro que você tem dos seus clientes. O que você acha da iniciativa?

Via RSS de Papo de Empreendedor

Leia em Papo de Empreendedor

Comente este artigo

Populares

Topo