X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Novidades pela net

Conheça o Bloom, o projeto brasileiro que quer mudar nosso modo de interagir em eventos e shows


Nos prometerem jetpacks, é verdade, mas o tão sonhado futuro tecnológico tem pisado na bola comigo com questões menores do que a oportunidade de fugir de uma conversa dizendo “falooooouuu” e apertando um botão para simplesmente sair voando. Me irrita pensar, por exemplo, que em shows, eventos e coisas do tipo, a tecnologia só seja usada da forma mais careta possível: o pagamento simples pela internet. Depois que todas as partes já cederam ou receberam dinheiro, dane-se a tecnologia e boa sorte com a sua ficha da cerveja, com o cartão clonado ou qualquer outro problema bobo que já deveria ter sido eliminado nas últimas décadas. Onde está a tecnologia depois que você entra em algum lugar? Nos prometeram o NFC também, e o pagamento móvel, mas eu ainda não estou vendo isso. Por sorte, há quem esteja pensando na questão: o Bloom, um produto (ou conceito, ou projeto) brasileiro desenvolvido em São Paulo, me fez algumas promessas. E eu fiquei feliz com o que vi.

O Bloom é uma ideia desenvolvida pela equipe de Edson Pavoni, um jovem empreendedor cheio de ideias interessantes, que já teve algumas empresas – entre elas o estúdio D3 – e sua parceira de projeto, Isabelle Perelmuter. O conceito é simples: os Blooms são peça de hardware que são espalhadas por um estabelecimento fechado e eliminam 1) filas 2) complicações 3) redundância 4) pulseiras coloridas 5) a sensação de que vivemos no passado. O Bloom é um aparelho redondo com muito alumínio e policarbonato e uma bela iluminação lateral com diversos LEDs. E ele pretende cuidar de todas as partes envolvidas em um evento: público, organizadores e também parceiros comerciais.

O Bloom surge de um pensamento que já tirou muito do sono de Edson: temos muita tecnologia, mas ainda temos dificuldade em usá-la de forma social dentro do mundo real. Mais do que uma bela peça de hardware, o Bloom quer ser um caminho mais inteligente e prático para juntar pessoas e guardar boas histórias. Do lado tecnológico, a ideia é simples: o Bloom usa NFC e BLE (Bluetooth Low Energy, a mais recente encarnação da tecnologia) para transformar praticamente qualquer smartphone em uma carteira para guardar fichas, um crachá, um cartão de crédito, uma pulseira.

abdfb QKiWYwAog

Via RSS de Gizmodo Brasil

Leia em Gizmodo Brasil

Comente este artigo

Populares

Topo