X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Novidades pela net

Leica celebra algumas das fotografias mais importantes feitas nos últimos 100 anos


Você sabia que algumas das fotografias mais famosas da história foram feitas com uma Leica? E que muitas outras foram feitas graças a Leica, que tirou as câmeras dos estúdios fotográficos para aproximá-la do mundo real?

Na verdade, quem fez isso foi o fundador da marca, Oskar Barnack, que considerava desgastante sair para fotografar com as tradicionais (e pesadas) câmeras de chapas. Com a ideia criar um equipamento mais prático, ele desenvolveu um protótipo em 1913, que combinava uma caixa de metal a uma lente parecida com a de um microscópio. O modelo evoluiu, no ano seguinte, para a Ur-Leica, considerada o primeiro produto da marca que algum tempo depois se tornou a favorita de grandes nomes como Henri Cartier-Bresson, Robert Capa, Helmut Newton, Diane Arbus e David Seymour, entre outros.

Death of a Loyalist Soldier – Robert Capa, 1936

Death of a Loyalist Soldier – Robert Capa, 1936

V-J Day – Alfred Eisenstaedt, 1945

V-J Day – Alfred Eisenstaedt, 1945

Le Peintre de la Tour Eiffel – Marc Riboud, 1953

Le Peintre de la Tour Eiffel – Marc Riboud, 1953

Toda essa introdução para falar sobre 100 – Um Tributo à Fotografia, filme criado pela F/Nazca Saatchi & Saatchi e produzido pela Stink São Paulo para divulgar a abertura da Leica Gallery São Paulo. E que melhor forma de se fazer isso celebrando não só os 100 anos da marca, mas também todas as incríveis fotografias que foram feitas em função dela?

O filme recria muitas dessas imagens feitas ou não com uma Leica, como é o caso de Raising the Flag on Iwo Jima, de Joe Rosenthal, Migrant Mother, de Dorothea Lange, Rue Mouffetard, Paris, de Henri Cartier-Bresson, Jan Rose Kasmir With Flower, de Marc Riboud, Retrato de Che Guevara, de Alberto Korda, Identical Twins, Roselle, New Jersey, de Diane Arbus, John Lennon and Yoko Ono, de Annie Leibovitz e Self Portrait with Models & Wife, de Helmut Newton, entre outras.

Regular guest at the Café Hawelka, Vienna – Franz Hubmann, 1956–57

Regular guest at the Café Hawelka, Vienna – Franz Hubmann, 1956–57

James Dean on Times Square – Dennis Stock, 1955

James Dean on Times Square – Dennis Stock, 1955

The dwarf – Bruce Davidson, 1958

The dwarf – Bruce Davidson, 1958

Mas o que torna a Leica uma das marcas favoritas de tantos fotógrafos mundo afora? Alguns diriam que é a qualidade do equipamento e, principalmente, de suas lentes. Para se ter uma ideia, há cerca de 2 anos um protótipo da Null-Serie foi arrematado em um leilão por €2,16 milhões. O modelo de 1923 faz parte do lote de 25 câmeras produzidas para testes, das quais acredita-se que restaram apenas 12. E sim, 80 depois a câmera ainda funciona.

Che Guevara – Alberto Korda, 1960

Che Guevara – Alberto Korda, 1960

Todas as imagens que ilustram este post foram feitas com uma Leica, algumas clicadas por fotógrafos profissionais e outras por amadores. E levando a história da fotografia até aqui, faz sentido a frase que encerra o filme 100:

“Nós não inventamos a fotografia. Mas inventamos ‘a’ fotografia.”

Muhammad Ali – Thomas Hoepker, 1966

Muhammad Ali – Thomas Hoepker, 1966

Napalm attack in Vietnam – Nick Út, 1972

Napalm attack in Vietnam – Nick Út, 1972

Sidewalk – Jeff Mermelstein, 1995

Sidewalk – Jeff Mermelstein, 1995

ca b feedPost originalmente publicado no Brainstorm #9
Twitter | Facebook | Contato | Anuncie

ece brainstorm d qjIDKrITs

ece FjDNN wU

Via RSS de Brainstorm #9

Leia em Brainstorm #9

Comente este artigo
Comente este artigo

Populares

Topo