X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Novidades pela net

O site bizarro que faz streaming de câmeras de segurança está com os dias contados


Nós falamos por aqui sobre o Insecam, um site russo que permite espiar câmeras de circuito interno ao redor do mundo. Seu criador diz que o objetivo é mostrar o perigo de não mudar a senha padrão nessas câmeras, que são ligadas à internet. Mas autoridades do Reino Unido querem fechar o site o mais rápido possível.

O comissário britânico Christopher Graham pediu às autoridades russas que tomem medidas imediatamente para desativar o Insecam. Caso não cooperem, ele trabalhará com os EUA para forçar a derrubada do site.

Graham reconhece que o site ajudou a destacar como as câmeras de segurança e webcams podem ser inseguras – afinal, a senha padrão delas está facilmente disponível online. Por isso, ele reforça: se você tem uma câmera dessas, mude a senha.

O Insecam existe desde setembro. Por que o Reino Unido está agindo só agora? Ele diz à BBC Radio 4:

Nós só o descobrimos há cerca de 24 horas. Este é um site muito obscuro, comandado por russos, registrado em um território marítimo administrado pela Austrália; me desculpe se você sabia sobre isso e eu, não.

O site faz streaming ao vivo de casas, escritórios, academias e outros locais – e ao lado do vídeo, mostra um Google Maps com o local sendo espionado. O Guardian nota que usuários do Reddit estão caçando câmeras para espiar mulheres à distância, vendo-as tirar a roupa e fazer outras intimidades.

O Insecam tinha 73.000 câmeras de segurança catalogadas no início do mês, mas hoje só contamos 17.000 no total – incluindo 291 no Brasil. Será que as pessoas estão trocando a senha padrão?

Infelizmente, mesmo que o Insecam seja derrubado, outros poderão aparecer. Na verdade, o Guardian diz que descobriu um site semelhante hospedado nos EUA, sem dizer qual. [The Guardian]

O post O site bizarro que faz streaming de câmeras de segurança está com os dias contados apareceu primeiro em Gizmodo Brasil.

ea EsKtrEci

Via RSS de Gizmodo Brasil

Leia em Gizmodo Brasil

Comente este artigo
Comente este artigo

Populares

Topo