X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Empreendedorismo

27 dicas para dominar qualquer coisa

dicasparadominarqualquercoisa

Dominar habilidades novas é completamente possível. Aqui temos 27 dicas para ajudar você


Dominar habilidades novas é completamente possível. Aqui temos 27 dicas para ajudar você

O que é preciso para se tornar um mestre em sua profissão? Precisa ser um gênio inato, ou pode-se aprender?

Em seu livro Mastery, Robert Greene retira as últimas pesquisas, entrevistas de mestres modernos e examina a vida de ex-grandes nomes como Albert Einstein, Leonardo da Vinci e Mozart para descobrir o que é preciso ter para alcançar a excelência.

Ele argumenta que o sucesso está ao alcance de qualquer um e se você tiver disciplina, paciência e seguir uma série de passos importantes.

Com a permissão de Greene, extraímos de seu livro as seguintes dicas para dominar qualquer coisa.

#1. Encontre a tarefa de sua vida

Muitas pessoas têm um feeling intenso sobre o que são melhores. Muitas vezes, são afastadas disso por outras pessoas. O primeiro passo é confiar em si mesmo e ter um objetivo em sua carreira.

Leonardo da Vinci não se via como um artista, mas quando ele seguiu sua curiosidade infantil sobre as coisas, ele se tornou um consultor e especialista em assuntos da arquitetura à anatomia.

#2. Ao invés de competir em uma área lotada, encontre um nicho onde você possa dominar

O Neurocientista legendário V.S. Ramachandran era ao mesmo tempo um professor inquieto e insatisfeito da psicologia.

O que era para ser supostamente um chamado, parecia um trabalho. Quando começou o estudo de membros fantasmas e distúrbios anômalos cerebrais, ele encontrou perguntas sobre o cérebro e a consciência que o fascinam até hoje.

Encontre o seu nicho perfeito e se destaque.

#3. Rebele-se contra o caminho errado e, use essa raiva como motivação

Mozart foi uma criança prodígio no piano.

Quando era muito jovem, seu pai dominador viajou pela Europa com ele. Quando ele descobriu o talento único para compor, seu pai o reprimiu.

Não conseguiu seguir até ter rejeitado seu pai inteiramente. Foi nesse momento que ele se tornou um mestre.

Muitas vezes somos atraídos para as coisas erradas, seja dinheiro, fama ou aprovação.

#4. Ame o seu mercado

As coisas que paralisavam você quando criança, que você encontrou de mais emocionante não era uma moda passageira, mas uma mensagem sobre o que você está predestinado a fazer.

Assim também foi para Marie Curie, que estava vagando no laboratório de seu pai e ficou fascinada por seus instrumentos.

#5. Encontre o aprendizado ideal

Charles Darwin era um aluno medíocre.

Ele passou raspando pela escola, mais interessado em espécies do que aulas. Quando teve a chance de se juntar a uma expedição para as Américas, ele quase não foi.

Mas ele viu que aquele barco levava a obra de sua vida e, uma das teorias mais influentes de todos os tempos.

Focamos muitas vezes apenas no que os professores nos ensina. É a experiência e a exploração que pode nos transformar.

#6. Se envolva com a observação profunda, pratique incessantemente e obtenha a experiência

Observação profunda

Você não precisa impressionar as pessoas. Você precisa assisti-las. Ao aprender as regras, você poderá dominá-las.

Prática, prática, prática

Nossos cérebros são configurados para ter habilidades de mestre. Ao repetir uma coisa e outra, os neurônios são recrutados e espelhados.

Essa é uma das razões pela qual você nunca se esquece de como andar de bicicleta.

Experiência

Você não sabe se é um mestre até que teste isso. Faça antes de estar pronto para o que você realmente quer aprender.

#7. Você não é escravo da opinião dos outros. Valorize isso

Em vez de, um trabalho comercial mais lucrativo, Martha Graham teve um emprego de professora, que permitiu a ela tempo para treinar e desenvolver  inovações na dança que a fizeram tão revolucionária quanto Picasso foi para a pintura.

Formação, aprendizagem e orientação não precisam ser bem pagas ou empregos de maior pressão.

Isso leva a um caminho conservador de agradar aos outros.

#8. Reverta o sentimento de inferioridade, para realmente conseguir aprender

Daniel Everett, um linguista talentoso, falhou em aprender a língua da tribo Paraha na Amazônia, o que deixou os pesquisadores perplexos por anos.

Ele falhou porque ele se aproximou como um linguista e missionário cristão, uma posição de superioridade.

Ele não dominou a língua até que começou a aprender como se fosse um dos filhos de Paraha, dependente da tribo e sujeito às mesmas restrições, inferioridade e necessidade de apoio que eles tinham.

Entre em um novo lugar ou caminho e aprenda o mais rápido possível. Prolongar preconceitos e sentimentos de superioridade dificulta isso.

#9. Se envolva na prática intensa e incline-se diante da resistência e da dor

Bill Bradley era adequado para o basquete só na altura.

Ele era lento, não podia saltar e não tinha nenhuma ideia de jogo.

Ele praticava 3 ou mais horas depois da escola, nos fins de semana, colocando pesos em seus sapatos e colocando papelão no fundo dos seus óculos para que ele pudesse driblar sem ver a bola. Esse foi apenas o início de sua rotina.

A prática intensa e cheia de resistência pode ser 2 vezes mais eficaz do que quando é mais fácil.

#10. Confie na tentativa e erro, mais do que qualquer coisa

Paul Graham sempre foi fascinado por computadores.

Ele finalmente descobriu que aprendia abordando problemas, falhando e, tentando novamente, não pelo que estava sendo ensinado.

Essa experiência, eventualmente, levou à criação do YCombinator, que dá a empreendedores o apoio para levar seus negócios adiante.

O modelo de aprendizado de Paul Graham foi útil para que ele ajudasse milhares de empreendedores, futuramente.

O modelo de aprendizado de Paul Graham foi útil para que ele ajudasse milhares de empreendedores, futuramente.

#11. Absorva o poder de seu mestre

A relação mentor-protegido é a forma mais eficiente e rápida de aprender. Você se concentra em uma excelente fonte de conhecimento, em vez de se lançar para muitas outras.

Você pode aprender uma maneira magistral de pensamento que leva uma vida para se desenvolver em apenas uma fração do tempo.

Mas o objetivo deve ser sempre ultrapassá-los.

#12. Escolha um mentor que irá desafiá-lo intensamente

Carl Jung idolatrava Freud como um pioneiro em seu campo, mas foi ambivalente sobre certas partes de sua teoria.

Usando-o como um mentor, mesmo que eles tivessem se separado, ele compreendeu melhor onde discordou de Freud, aprendeu muito e, aguçou suas próprias ideias centrais e sua identidade.

Quanto mais o seu mentor o desafia, mais eles serão desafiados.

#13. Absorva o conhecimento do seu mestre por completo – e, em seguida, o transforme

Glenn Gould foi o lendário professor de piano do estudante mais promissor Alberto Guerrero.

Gould transformou Guerrero, ensinando-o rapidamente e o movendo em uma direção totalmente diferente.

Aos 19 anos, ele foi embora por conta própria, mas anos mais tarde, Guerrero ainda podia ver as coisas que ensinou a Gould, totalmente absorvidas, mas totalmente transformadas por sua genialidade.

É quase uma maldição aprender à maneira de alguém brilhante; pode ser muito intimidante. Mas supere isso, absorva tudo, e, em seguida, vá além.

#14. Crie um vai-e-vem dinâmico em todos os seus relacionamentos

Freddie Roach, um dos mais lendários treinadores do boxe, encontrou seu maior aluno, que futuramente seria 8 vezes campeão mundial, Manny Pacquiao.

Ele foi o mais intenso aluno de Roach e com o tempo, ele aprendeu a ter estratégias e instruções com um passo além do que ele jamais poderia ter sozinho com Roach.

Os melhores relacionamentos são interativos.

#15. Desenvolva a inteligência social

Uma das maiores barreiras para se tornar um mestre é lidar com os outros. É muito fácil viver a vida com uma série de batalhas de poder que acabam por serem menores.

A ideia de que as pessoas podem ser tão brilhantes que elas não precisem lidar com a sociedade é uma enganação.

Mestres usam a inteligência social para amplificar suas habilidades, ao invés de transformar os outros em um obstáculo.

#16. Aceite críticas e se adapte às estruturas de poder e da sociedade

Ignaz Semmelweis foi um dos pioneiros da utilização de técnicas antissépticas, algo que poderia existir e salvado milhões de vidas.

Ele nunca foi totalmente bem recebido em seu tempo por causa do seu nariz empinado, arrogante que ele lidava com os seus superiores e, sua recusa realmente provara suas ideias.

Ele morreu pobre e abandonado aos 47 anos.

#17. Elabore meticulosamente a sua persona

Teresita Fernandez, uma escultora e vencedora de um MacArthur “Genius Fellowship” poderia ter deixado os outros defini-la.

Seus trabalhos, principalmente com metais, em particular, era um meio quase que totalmente masculino e, ela poderia ter sido facilmente reconhecida como uma novidade passageira.

Ao passar o tempo pensando em sua persona, bem como com sua arte, ela só acrescentou isso ao seu sucesso.

Todos nós usamos máscaras na sociedade. Estar ciente de que, estar autoconsciente sobre isso lhe permite ser mais eficaz em qualquer situação.

#18. Sofra com os tolos e, aprenda a explorá-los

O poeta e romancista alemão Johann Wolfgang von Goethe passou um período de sua juventude na corte de um duque de destaque.

Ao aceitá-lo, encontrou-se em uma cultura claustrofóbica e mesquinha. Ao invés de se envolver, ele usou o seu comportamento como base para peças de teatro e romances posteriores.

Há simplesmente muitos idiotas para evitar. Não se envolva ou rebaixe ao seu nível.

#19. Desperte a mente dimensional e, seja ousado

Depois do aprendizado, tendemos a ser conservadores, para trabalhar firmemente dentro de um campo e estabelecidas regras familiares.

A chave para o domínio está em rejeitar o conservadorismo e se tornar cada vez mais ousado.

#20. Absorva tudo e, em seguida, deixe o seu cérebro fazer conexões por você

O cérebro é projetado para fazer conexões.

Quando nos concentramos intensamente em uma determinada tarefa, podemos aumentar a tensão e nosso cérebro se fecha.

Mestres leem e absorvem tudo o que poderia estar relacionado a estimular o cérebro a fazer um salto de aprendizado.

É assim que Louis Pasteur deu o salto que conduziu a vacinas. Ele passou anos desenvolvendo a teoria dos germes, o que lhe permitiu ver a importância de um grupo de galinhas que sobreviveram a eles com uma injeção com uma cultura antiga da doença.

Como ele disse, “o acaso favorece apenas a mente preparada“.

#21. Evite colocar coisas em categorias familiares

As mentes mais criativas resistem às tendências do cérebro de colocar as coisas em categorias fáceis, para usar um atalho mental para simplificar tudo.

Com um esforço para alterar perspectiva, que pode mudar.

Larry Page e Sergey Brin tiveram essa percepção do Google, vendo o que parecia ser uma falha trivial, em maus resultados de buscas. Uma anomalia levou-os a um caminho muito mais eficaz.

Larry Page e Sergey Brin elevaram o mercado de buscadores por abordá-lo de uma maneira diferente.

Larry Page e Sergey Brin elevaram o mercado de buscadores por abordá-lo de uma maneira diferente.

#22. Não deixe a impaciência atrapalhar seus planos

A maior força de John Coltrane, a improvisação, era uma fraqueza. Ele recorreu à imitação ao invés de inovação.

Depois de anos de absorção de outros estilos e aprendendo um vasto vocabulário técnico, ele aprendeu a transformá-lo em algo intensamente pessoal e diferente de todos os outros.

Um dos maiores impedimentos para a criatividade é a impaciência. Mantenha o curso e desenvolva a sua voz autêntica.

#23. Valorize a inteligência mecânica e abstrata da mesma forma

Os engenheiros mais brilhantes do mundo não conseguiram criar uma máquina voadora que funcionasse.

Orville e Wilbur Wright eram mecânicos de bicicleta. Uma visão simples, uma máquina voadora que precisava ser capaz de voar com um banco como de uma bicicleta em vez de mover em linhas retas horizontais, como um navio, ajudou a derrotar os homens que haviam atacado o problema durante anos.

Inteligência mecânica, o foco na funcionalidade, pode ser tão vital e criativo como o abstrato.

#24. Evite o bloqueio técnico, ou ficar preso na parte técnica, em vez do problema real

Abelha Robótica

O pioneiro da neurobotics Yoky Matsuoka tinha uma meta impossível, construir uma mão robótica realista.

Para ela, não foi uma série de quebra-cabeças mecânicos, mas um processo de aprendizagem para compreender o lado humano.

Detalhes anatômicos aparentemente irrelevantes acabaram por serem extremamente importantes para a função.

O bloqueio técnico faz as pessoas perderem de vista as questões maiores. Ao olhar para o lado humano, já estranhamente perfeito, Matsuoka ultrapassou pessoas que tinham sido absorvidos pelas questões técnicas por anos.

#25. Funda o intuitivo e o racional

Este é o passo final: a profunda imersão em um determinado campo, a experiência de um estágio, o tempo sob mentiria e, explorar o potencial criativo criando uma extraordinária profundidade de conhecimento e uma capacidade de responder rapidamente e instintivamente a qualquer situação.

Combinando esse instinto com processos racionais é possível que as pessoas alcancem o seu maior potencial para se tornarem mestres.

#26. Formar seu mundo em torno de seus pontos fortes

Albert Einstein foi um cientista ruim.

Detestava a forma de física que aprendeu e não gostava de experimentos. Suas maiores percepções vieram de outro lugar.

Sua teoria da relatividade simples, veio parcialmente do pensamento de uma imagem que permanecia na sua cabeça, de trens, feixes de luz, homens e mulheres.

Ao decidir-se aos 20 anos em se desviar da ciência experimental convencional e, usar sua aversão à autoridade para remover convenções que lhe impedira, Einstein fez algo intuitivo, que parecia ilógico, mas que foi intensamente racional.

#27. Saiba que a prática é tão importante quanto a habilidade inata

Cesar Rodriguez, apelidado de “último ace da América” ​​não era um piloto talentoso. Ele falhou no início.

Ele apanhou, então ultrapassou todos através da prática interminável. Ele conhecia todos os controles de seus ossos e, reagiu melhor do que aqueles que confiaram no talento.

Isso o ajudou a realizar 3 mortes aéreas e ganhar o apelido.

___

Este artigo foi adaptado do original, “27 Tips for Mastering Anything”, da Entrepreneur.

Comente este artigo

Populares

Topo