X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Empreendedorismo

Lições de vida de jovens de 105 anos

Liçõesdevidadejovensdeanos

O que podemos aprender com pessoas que viveram em uma época totalmente diferente da nossa?


O que podemos aprender com pessoas que viveram em uma época totalmente diferente da nossa?

Você teve o privilégio de ter uma bisavó? Eu tive e, posso dizer que, as experiências e histórias que essas pessoas podem nos contar abrilhantam a nossa vida.

E o mais legal de tudo, elas adoram aprender com as pessoas mais jovens, querem ser antenadas e estar prontas para conversar de igual pra igual com a gente.

Infelizmente a minha avó se foi há alguns anos, com seus 90 anos e, deixou saudade. Mas, a vida está repleta de pessoas jovens, no auge de seus 90, 100 e 105 anos, que podem nos ensinar muito sobre a vida.

Devon Dings também teve o prazer de ter uma bisavó. E a dele ainda está viva, e cheia de histórias, aos 105 anos.

Ela continua ensinar novas lições, às vezes mesmo involuntariamente. Ela foi criada e já criou todos os seus filhos em uma área de cultivo rural em Ontário Oriental, Canadá.

Há duas lições que ela ensinou a Dings até agora, que pode beneficiar você. Estas são lições de vida de uma jovem de 105 anos.

#1. Trate seu vizinho do jeito que você gostaria de ser tratado

Todos nós já ouvimos as palavras “trate os outros com respeito” e “trate os outros como você gostaria de ser tratado”.

Ambas as frases surgiram como o mesmo propósito, mas descrevem duas ações completamente diferentes. Minha avó explica a importância de manter um forte vínculo entre você e seus vizinhos.

Não era uma questão de dar e receber respeito. Você ganha e, em troca você recebe.

Existem várias maneiras nas quais as relações com os nossos vizinhos mudaram ao longo dos anos.

Meet and greet novos vizinhos

Raramente encontro-me abordado por moradores de uma área que vou me mudar. No passado, como a “nova família na rua” você muitas vezes encontrava vizinhos companheiros que casualmente trazia presentes para recebê-lo.

Atos de bondade como estes eram muito mais frequentes e casuais. Minha avó enfatizou o fato de que, se ela já fez muitos assados​​, os extras normalmente iam para os vizinhos.

Apesar de alguns bairros ainda mostrarem sinais de gratidão e aceitação, eles desapareceram em grande parte, juntamente com cortesia comum.

A política da boa vizinhança nunca é demais.

A política da boa vizinhança nunca é demais.

Conselho de bairro

Quando estou buscando instruções sobre como completar uma tarefa, eu costumo usar o Google.

Antes da época da internet, os nossos antepassados ​​tiveram que contar com as habilidades e ajuda dos outros.

Se você fosse incapaz de construir ou consertar alguma coisa, você muitas vezes precisava procurar ajuda de seu vizinho.

O pagamento não era o foco principal, também. E diversas vezes, os vizinhos trocaram favores em vez de dinheiro.

Você tratava uns aos outros como você queria ser tratado porque você nunca sabia quando precisaria de ajuda.

A notícia se espalhava rapidamente, porque todo mundo estava muito próximos – então você nunca tomava decisões irredutíveis com ninguém por medo de uma má reputação.

#2. Não vá para a cama com raiva

Outra das minhas lições de vida de uma pessoa de 105 anos é “não vá para a cama com raiva”.

Um dos principais motivos é o fato de que estamos ignorando o que está nos incomodando e, por isso não corrigimos o problema.

Quando ignoramos as situações que nos incomodam e tentamos dormir distante disso, estamos nos preparando para os mesmos resultados quando formos expostos novamente a essa situação.

Exemplo: Quando uma mulher faz algo que incomoda o marido, o marido não quer abordar a situação devido ao medo de confronto.

Não vá para cama com raiva. Você será o único prejudicado.

Não vá para cama com raiva. Você será o único prejudicado.

 

Isso resulta em ele engarrafar sua raiva. O fato de que ele não está expressando sua opinião sobre o assunto não só deixa a mulher pensando que ela não fez nada de errado, mas também define a situação até sendo a mesma ou pior próxima vez que ela surge.

Por não se aproximarmos das ações que não gostamos, não estamos encontrando uma resolução e podemos esperar em breve os mesmos sentimentos de ressurgirem

Este fato foi, na verdade foi cientificamente comprovado ser uma verdade. Um grupo de estudantes da UMass Amherst descobriu que, quando vamos para a cama imediatamente, ou ignoramos um problema, ele continua sendo “protegido”.

Isso significa que quando você estiver exposto mais uma vez, sua resposta provavelmente será tão negativa quanto a última vez.

Exemplo: A testemunha de um terrível acidente que fica acordada depois do incidente é menos propensa a ter respostas negativas às imagens da cena do crime.

Como você pode ver, existem várias lições que podem ser aprendidas com alguém que tenha experiência.

Devon Dings continua procurando conselhos da sua bisavó porque aprendeu que nada nos ensina mais do que experiências pessoais.

___

Este artigo foi adaptado do original, “Life Lessons from a 105-Year-Old”, do Lifehack.

Comente este artigo

Populares

Topo