X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

SEO

5 crenças sobre SEO que você precisa parar de acreditar, parte 2

crençassobreSEOquevocêprecisaparardeacreditar,parte

Será que tudo que ouvimos falar sobre SEO é realmente verdade, ou estamos cheios de mitos ao nosso redor?


Será que tudo que ouvimos falar sobre SEO é realmente verdade, ou estamos cheios de mitos ao nosso redor?

Você sabe quais práticas de SEO ainda funcionam e quais já estão ultrapassadas?

Você sabe quais práticas de SEO ainda funcionam e quais já estão ultrapassadas?

Como dissemos na semana passada, na primeira parte desse artigo, nem tudo que a gente escuta falar sobre SEO é estritamente verdadeiro. Na verdade, o mercado de SEO é completamente misterioso e, talvez por isso todo mundo queira saber um pouco mais como funciona.

O próprio Google contribui para esse pensamento, não deixando totalmente claro quais são todos os fatores de relevância que o buscador leva em conta no momento de indexar sites e páginas.

A única coisa que ouvimos dizer é que o Google atualizou seu algoritmo e que agora vai começar a valorizar mais um determinado fator.

Mas, ainda assim o SEO é um bicho de 7 cabeças para muitas empresas. Por conta disso, vamos dar continuidade e jogar a última pá de cal em cima de algumas crenças que você deveria parar de acreditar de uma vez por todas.

#3. Páginas clone com localização

Não há melhor exemplo e como agradar os algoritmos dos buscadores do que a criação de páginas e serviços por localização.

Esse trabalho nada mais é do que uma cópia de sua página com as palavras chave principais mais uma determinada localização que ficam dentro do código das páginas.

Geralmente essas páginas não oferecem nada de novo para o cliente, e pode acabr gerando uma confusão nas informações do site.

Entenda uma coisa: isso é totalmente diferente de querer encontrar os usuários por geolocalização, com base na localização do usuário.

Se você ainda não entendeu qual é a questão aqui, o problema são as páginas que se parecem com isso:

  • www.meudominio.com.br/sao-paulo
  • www.meudominio.com.br/rio-de-janeiro
  • www.meudominio.com.br/minas-gerais
  • www.meudominio.com.br/todas-as-cidades-do-brasil

E o problema é que em cada página que você clica, o conteúdo é o mesmo, mudando apenas o nome da cidade e o telefone. Isso é uma péssima maneira de agradar os buscadores.

Para as empresas que atendem uma área de raio, essa não é uma boa maneira de criar boas páginas regionais.

Você até pode (e deve) ter páginas que mostram o seu alcance regional ou nacional, mas é preciso um pouco mais de trabalho do que apenas escrever 27 páginas, uma para cada capital do Brasil.

É preciso levar algumas informações em conta, fugir do conteúdo duplicado antes de começar a sair reproduzindo páginas para ser otimizado pelos seus trabalhos nas capitais nacionais.

#4. Você tem que estar na Pinterest

Ah! A Pinterest. A plataforma de blogging popular que conquistou o coração e as telas dos computadores de milhares de mulheres na faixa etária de 18 aos 64 anos.

Mas o que esses números significam? Antes de entrar em qualquer nova plataforma de mídia social, você deve perguntar a si mesmo alguns detalhes importantes.

Quem está usando?

Se o seu mercado não está usando ativamente a Pinterest, ou qualquer outro site, não se incomode. Existem tantos sites para escolher, que você precisa escolher o que está mais alinhado com o seu público.

Você não pode usar todas as mídias, então escolha aqueles que lhe dão as melhores chances de atingir a sua base.

O que as pessoas fazem lá?

Tão importante quanto saber quem está lá é saber o que estão fazendo. Cada mídia social tem a sua própria cultura e código de conduta que as empresa podem quebrar inadvertidamente.

Olhe o Tumblr e o Reddit, por exemplo. Os usuários do Tumblr partilham imagens e gifs usando tags para construir fãs e comunidades. No Reddit, é tudo sobre ideias.

Se o seu conteúdo não joga pelas regras, ele não vai a lugar algum. É importante entender o comportamento do usuário em qualquer mídia, e a Pinterest não é nenhuma exceção.

Posso me comprometer em criar conteúdo nessa rede?

Então você chegou à conclusão que o seu público está conectado. Você conhece os tipos de conteúdo que eles gostam. Antes de jogar outra mídia no seu mix de marketing, pegunte-se se você tem tempo e energia para se empenhar nessa mídia a longo prazo.

O sucesso de qualquer mídia social depende de cultivar relacionamentos com os fãs, clientes e pessoas curiosas. Você não pode fazer tudo em apenas 1 dia e depois esquecer a mídia.

O que vou ganhar participando dela?

As mídias sociais são famosas por serem algo difícil de medir em termos de ROI. Se você está procurando um efeito discreto sobre seus resultados, você está tomando a atitude errada.

As mídias sociais são uma maneira de gerenciar a sua marca e se conectar com clientes para fazer parte da conversa.

Encontre o local certo

Se você pode encontrar a mídia certa e ter o conteúdo certo, você vai aumentar o seu share of mind com as pessoas que mais importam.

Pode ser a Pinteres, talvez. Mas se as perguntas acima não apontam nessa direção, não tenha medo de chegar à conclusão de que a sua empresa não deveria estar na Pinterest.

Não é porque todo mundo diz que você deve estar na Pinterest que você tem que estar.

Não é porque todo mundo diz que você deve estar na Pinterest que você tem que estar.

#5. O conteúdo é rei

Nós sabíamos que essa seria uma frase controversa logo que ela começou a se popularizar.

Você está tendo problema com o seu desempenho nos buscadores? Não tem problema! É só pegar qualquer conteúdo e colocar em suas páginas de baixo desempenho e ver o rolo de tráfego dentro do seu site.

As pessoas amam conteúdo. O conteúdo é algo valioso.

Mas essa estratégia não vai funcionar para sempre. Os hábitos de navegação na web deixam claro que as pessoas preferem qualidade ao invés de quantidade sempre.

O grito de guerra de mais conteúdo do SEO ignora um fator vital: o conteúdo não é tão valioso porque ele não é tudo.

O conteúdo é uma daquelas palavras que não têm significado (como conceito de valor) até que você preencha o significado do que ele significa para você.

Podemos falar sobre o conteúdo de um livro, o conteúdo de uma caixa, o conteúdo de seu estômago. Claro, você pode colocar qualquer coisa lá dentro, mas nem todos eles garantem os mesmos resultados.

E é isso que importa: os resultados. A sua estratégia de conteúdo deve ser impulsionada por objetivos de negócio e os resultados desejados. Ele deve ter propósito.

Criar conteúdo apenas por criar é algo vazio e sem sentido. Ele não cumpre nenhuma promessa. O conteúdo criado com um objetivo, para informar persuadir, entreter, estão mais propensos a serem lidos.

Existem 4 tipos principais de conteúdo, e quem souber tirar proveito deles conseguirá ficar à frente de sua concorrência.

O compartilhamento de informações de forma eficaz no tipo certo (se é texto, áudio, imagem ou vídeo) vai tornar a sua mensagem a mensagem certa.

O conteúdo ineficaz não vai ajudá-lo. Portanto o conteúdo nunca deve ser o rei, mas sim o mensageiro.

O que isso significa?

Essa é a conclusão lógica da todos os pontos anteriores que mencionamos. Agrupe-os e vai ficar claro o que você precisa saber sobre o bom conteúdo e o bom SEO:

  • Foco no usuário. Coloque o usuário em primeiro lugar, e não os buscadores.
  • É formado pelo design do site e pela experiência do usuário.
  • Fornece valor real, cumpre as promessas e não é repetitivo ou vazio.
  • É acessível, compartilhável nas mídias que mais importam para seus clientes.

E a melhor parte? Esse é o tipo de conteúdo e informação que o Google e os seus clientes sempre estão buscando.

___

Este artigo foi adaptado do original, “5 SEO Tends To Sto Talking About (and Why)”, do Medium.

Comente este artigo

Populares

Topo