X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Motivação & Inspiração

12 ferramentas para viver de maneira mais consciente

ferramentasparaviverdemaneiramaisconsciente

Viver uma vida mais consciente vale a pena porque nos ajuda a atingir nossos objetivos. Aqui estão algumas maneiras de despertar esse comportamento


Viver uma vida mais consciente vale a pena porque nos ajuda a atingir nossos objetivos. Aqui estão algumas maneiras de despertar esse comportamento

Porque não tentar manter o foco em 2014 em uma vida mais consciente? Aqui vão algumas coisas que podemos aprender.

A primeira delas é que uma vida consciente vale a pena o esforço. É uma vida onde nós despertamos do estado de sonho que estamos na maioria das vezes submerso, tendo a nossa mente em qualquer lugar, trancado em pensamentos sobre o que você tem que fazer.

Infelizmente estamos em um estado de espírito em que nos encontramos perdidos em nossos smartphones e mídias sociais.

Vale a pena o esforço, porque estar acordado significa não estar perdendo a vida que está passando.

Estar acordado e consciente significa que estamos ligados para o que está acontecendo dentro de nós, e como podemos fazer escolhas mais conscientes em vez de agir por impulso o tempo todo.

A segunda coisa que podemos aprender é que nos esquecemos das coisas. Cada dia que passa, nos esquecemos mais e mais. E isso é bom. Estar consciente é um processo de esquecimento e lembrança.

A terceira é que a vida consciente não é apenas um comportamento. É um estilo de vida. Também não é apenas se concentrar nas sensações em torno de você, agora neste momento.

A vida consciente pode ser um conjunto de ferramentas muito relacionadas, talvez todas as maneiras diferentes de obter a mesma coisa, mas cada qual em seu estilo.

O conjunto de ferramentas

#1. Meditação

A meditação é onde a vida consciente começa. E não é complicado: você pode ficar parado por até 1 minuto por dia para começar – e ir para 3 a 5 minutos na próxima semana), e volte a sua atenção para o corpo e, em seguida sua respiração.

Observe quando seus pensamentos errantes tomam conta da sua concentração, e gentilmente volte ao normal. Repita até o fim.

#2. Seja desperto

A meditação é uma prática para se manter acordado, o que não acontece no estado de sonho (quando a mente vagueia em um trem de pensamentos, se perdendo no mundo online, pensando sobre o passado).

Mas estar acordado para o presente é o que importa. Estar acordado é algo que você pode fazer ao longo do dia, o tempo todo, se você se lembrar. O truque é se lembrar.

#3. Observe seus impulsos

Quando uma pessoa quer parar de fumar, uma ferramenta útil é aprender sobre seus impulsos para fumar.

É preciso entender o porquê da vontade e assisti-la sumir vagarosamente, até que ela não volte mais. Isso pode nos ensinar que não somos nossos desejos, que não temos que agir por impulsos, e isso significa mudar uma série de hábitos.

Cuidado com o impulso de verificar seu e-mail ou mídias sociais, de comer doces ou fritura, beber álcool, assistir TV, se distrair, procrastinar, etc.

Esses impulsos vão e vem, e você não tem que deixar que eles te guiem.

Cuidado para onde os seus impulsos te levam.

Cuidado para onde os seus impulsos te levam.

#4. Observe as ideias

Todos nós temos ideias, o tempo todo. Temos um ideal que o nosso dia vai seguir perfeitamente, que as pessoas serão gentis e respeitosas, que seremos perfeitos, que nunca vamos falhar.

Claro, sabemos por experiência que essas ideias não são reais, que elas não se tornam realidade, que não são realistas, muitas vezes.

Ao abrir mão de tantas ideias, podemos abrir mão do sofrimento.

#5. Aceite as pessoas e a vida como elas são

Quando paramos de tentar mudar as pessoas, e aceitamos elas das maneiras com que elas são, podemos ser justos com estas pessoas e aproveitar o nosso tempo com ela.

Esta aceitação tem o mesmo efeito para qualquer coisa que você faz: aceitar um colega de trabalho, um filho, um cônjuge, bem como uma situação ruim, um sentimento desagradável.

Quando paramos de tentar lutar contra a forma como as coisas são, quando aceitamos as coisas, nós sempre ficamos em paz.

#6. Esvazie as expectativas

Esta é realmente a mesma coisa que os 2 itens anteriores, mas é muito útil. É útil assistir as suas expectativas com uma frustração futura, com um novo projeto ou negócio, e ver que ele não é real e que por isso nos causa uma decepção.

Nós causamos nossa própria dor, e podemos aliviá-la, deixando de nos guiar pelas expectativas que estão causando isso. Jogue as expectativas fora.

#7. Fique bem ao desconforto

O medo do desconforto é enorme. Ele leva as pessoas a se prenderem em hábitos ruins, para não começar o negócio que não queremos iniciar, ficarmos presos em um trabalho que não gostamos, porque tendemos a ficar com o conhecido e confortável, em vez de tentar algo desconhecido e desconfortável.

É por isso que muitas pessoas não comem legumes ou fazem exercícios, por que comem fast food, porque não começam algo novo.

Mas podemos estar bem com o desconforto, praticando. Comece com coisas que são um pouco desconfortável, e mantenha a expansão da sua zona de conforto.

#8. Cuidado com a resistência

Quando você tenta fazer algo desconfortável, ou tenta desistir de algo que gosta ou está acostumado, você encontrará resistência.

Mas você pode apenas assistir a resistência, e ser curioso sobre isso. Cuidado com as resistências às coisas que incomodam você – um som alto que interrompe a sua concentração, por exemplo.

Não é o som que é o problema, é a sua resistência ao som. O mesmo acontece com a resistência a alimentos que não gostamos, para sentir frio ou calor ou fome – é a nossa resistência.

Assista a resistência e, sinta-a derreter.

Vença a sua resistência.

Vença a sua resistência.

#9. Seja curioso

Muitas vezes estamos presos em nossos caminhos, e pensamos que sabemos como as coisas deveriam ser e como as pessoas são.

Em vez disso, seja curioso. Descubra, experimente. Deixe de lado o que você acha que sabe. Quando você inicia um novo projeto ou empreendimento, se você tiver medo do fracasso, nada vai dar certo.

Aprenda a estar bem diante daquilo que não tem controle.

#10. Seja grato

Nós nos queixamos de tudo. Mas a vida é um milagre. Encontre algo para ser grato sobre tudo que você faz.

Seja grato quando você está fazendo algo novo, desenvolvendo um novo hábito, e você vai cumpri-lo por mais tempo. Seja grato quando você está com alguém, e você será mais feliz com ele.

A vida é incrível, e você precisa aprender a apreciá-la.

#11. Deixe de controlar

Muitas vezes pensamos que controlamos as coisas, mas isso é apenas uma ilusão. Nossa obsessão com a organização e as metas de produtividade, por exemplo, estão enraizados na ilusão de que podemos controlar a vida.

Mas a vida é incontrolável, e quando pensamos que temos as coisas sob controle, algo inesperado surge para atrapalhar tudo.

E então nós ficamos frustrados porque as coisas vão do jeito que queríamos. Em vez disso, pratique sair do comando e deixe as coisas fluírem.

#12. Seja compassivo

Isso soa banal, mas a compaixão pelos outros pode mudar a maneira como você se sente sobre o mundo, em uma base diária.

E a compaixão por si mesmo é uma mudança de vida. Essas 2 coisas precisam nos lembrar, no entanto, de estarmos atentos sobre a lembrança de sermos compassivos, e depois nos esquecemos.

A prática

Isso parece um monte de lembretes inúteis, não é mesmo?

Mas não é bem assim. Nós temos o péssimo hábito de esquecer tudo que devemos fazer. Por isso precisamos dizer e, nos colocar de volta no caminho. E aí voltamos a praticar boas ações.

Mesmo quando nos esquecemos desses comportamentos, refletimos, aprendemos e praticamos novamente.

Esse é um processo de aprendizagem. Nós esquecemos, lembramos e repetimos essa operação infinitamente.

___

Este post foi adaptado do original, “12 Tools For More Mindful Living”, da FastCompany.

Comente este artigo

Populares

Topo