X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Destaques

Bovinicultores discutem estratégias de convívio com a seca


João Pessoa – O longo e agravante período de estiagem no ano passado, que deixou 171 cidades paraibanas em estado de emergência, diminuiu em torno de 50% o rebanho bovino na Paraíba. Com isso, a capacidade de produção leiteira também foi reduzida. Para que os produtores do estado possam conviver com essa situação, técnicos do Sebrae, da Empresa Paraibana de Pesquisa Agropecuária (Emepa), do Instituto Biosistêmico (IBS) e consultores discutiram, nesta semana, as estratégias de projetos e ações para um programa sustentável e rentável de convívio com a seca. As ações envolvem o mercado de lácteos, capacitação dos produtores em gestão das propriedades e da atividade leiteira, bem como as tecnologias de produção de palma forrageira, de nutrição animal, de silagem, de gestão estratégica dos recursos hídricos e de melhoramento genético e inseminação artificial dos rebanhos.

Atualmente, o Sebrae na Paraíba atua por meio de cinco projetos em todo o estado, englobando 58 municípios das regiões de Pombal, Patos, Sousa, Guarabira e Campina Grande. Os 228 produtores dessas regiões produziram cerca de dez milhões de litros de leite no ano de 2012, cuja destinação divide-se entre agroindústrias de beneficiamento de leite e produção de derivados, como queijos, iogurtes, bebidas lácteas e também as pequenas queijeiras produtoras de queijos de coalho, manteiga e manteiga da terra.

“Apesar da estiagem, o mercado de lácteos continua aquecido e as agroindústrias paraibanas, caso não consigam leite in natura no estado, continuarão adquirindo leite em pó de outras regiões e do exterior” destacou o gerente de Agronegócios do Sebrae na Paraíba, Antônio Felinto Neto. Em uma das maiores áreas de gado leiteiro do estado, o Cariri Oriental, ainda não houve grande diminuição da produção, no entanto, as reservas já estão se exaurindo, conforme relatou o gestor do projeto Leite e Derivados do Sebrae em Campina Grande, Rodrigo Azevedo. “Apesar das dificuldades, temos casos de sucesso na região de Barra de Santana, com alguns produtores incorporando tecnologia, diminuindo custos e evitando os prejuízos”.

Os técnicos discutiram também questões relativas à organização desses produtores para a aquisição de insumos como rações concentradas e sal mineral, organização de mecanismos de negociação do mercado de bezerros, a recomposição de rebanhos por meio de métodos artificiais de inseminação e o acesso a crédito para investimento e custeio da produção. “Na bovinocultura leiteira, precisamos trabalhar com um grande programa e não apenas com ações pontuais”, ressaltou o consultor do IBS, Fernando Gomes, que atua na região da cidade de Pombal.

Serviço:
Sebrae na Paraíba: (83) 2108-1218
www.pb.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800

Via RSS de RSS Feeds – Agência Sebrae de Notícias

Leia em RSS Feeds – Agência Sebrae de Notícias

Comente este artigo

Populares

Topo