X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Tecnologia e Inovação

Se os MBAs não valem nada, estamos em apuros

Startups

Os MBAs são uma furada. Mas, se eles não podem nos qualificar, quem poderá nos ajudar?


Os MBAs são uma furada. Mas, se eles não podem nos qualificar, quem poderá nos ajudar?

Cursos universitários, MBAs e qualquer faculdade que as pessoas façam estão obsoletos, desperdício de tempo e dinheiro. Uma irrelevante receita para o fracasso…

Pelo menos é o que os empresários e capitalistas de risco estão dizendo. Então, qual é a próxima etapa?

Aprender o código do lean startup. As aceleradoras são a nova escola de resultados.

Há apenas um problema

Embora criar um produto e iniciar uma empresa nunca tenha sido tão fácil, a construção e manutenção de um negócio nunca foi tão difícil. E o lean não é tudo.

Isso significa que a educação empresarial nunca foi tão importante. Mas, primeiro todas as escolas alternativas e as empresas precisam aprender alguns truques novos.

O culto à inovação

Agora, a inovação é a coisa mais quente do mundo dos negócios. Busca no Google têm crescido quase 500% nos últimos 5 anos. Não são apenas os empresários que estão buscando essa informação.

De acordo com o The Wall Street Journal, a palavra inovação foi mencionada pelas empresas em seus relatórios 33.528 vezes, 64% a mais do que há 5 anos atrás.

Essa obsessão com as questões de inovação, porque isso vem mudando a forma como as empresas e pessoas funcionam.

Empresários e executivos estão começando a afastar-se de abordagens tradicionais de desenvolvimento de novos produtos e crescimento. E, a maioria dessas abordagens ultrapassadas estão intimamente associadas aos cursos universitários (principalmente MBAs).

Em vez disso, eles estão abraçando novos métodos de inovação, como o lean startup, aceleradoras e o growth hacking.

E em um mundo que, qualquer pessoa com 9 dólares pode aprender a trabalhar com o conceito lean startup, ninguém precisa de MBA, certo? Bem, não é tão simples assim.

A metodologia lean startup não resolve todos os desafios do empreendedorismo. O MBA também não. Qual o caminho?

A metodologia lean startup não resolve todos os desafios do empreendedorismo. O MBA também não. Qual o caminho?

O crescimento só está ficando mais difícil

Mesmo em tempos melhores, construir um negócio é difícil. Pelo menos 75% das startups falham no meio do caminho. Apenas 6% das startups crescem para 10 milhões em receita em 10 anos. Menos de 2% atingem a marca de 50 milhões.

Essa é uma marca difícil até mesmo para as grandes empresas.

2 a cada 3 produtos lançados por empresas estabelecidas falham em até 2 anos e apenas 9% das grandes empresas cresce acima dos 5%. De fato a esperança média de vida das empresas está em queda livre.

Esse índice agora é de apenas 15 anos. Isso significa que o jogo está ficando mais difícil.

Está ficando mais difícil porque o negócio está ficando mais complexo. Em 2020, algo como 60% do abastecimento das empresas vão vir de fora, elas vão produzir e vender mais fora de casa do que dentro de casa.

Isso inclui pequenas e grandes empresas e, podemos concluir assim que a economia global vai se tornar algo permanentemente turbulento e hiper-competitiva.

Enquanto a tecnologia e o método lean permitirem inovações disruptivas, elas raramente serão a razão pela qual novos lançamentos vão falhar.

Ser lean não é tudo

A lição aqui é que uma liderança forte e sólida na gestão sempre será essencial. A construção de um negócio real requer não apenas a criação das coisas, mas também levar as pessoas a pagarem por elas e pagar mais do que elas custam.

Para isso, porém, você precisa fazer mais do que definir uma visão e descobrir uma proposição de valor viável.

Você também precisa garantir recursos escassos, desenvolver equipes coesas, montar redes de colaboração e construir relações duradouras com os clientes.

Todas essas habilidades, também conhecidas como estratégias, finanças, contabilidade, recursos humanos, operações, marketing e vendas, não são completamente dirigidas pelo método startup lean.

Mas eles são exatamente o tipo de coisa que a educação formal, principalmente os MBAs podem desenvolver.

Infelizmente, ou felizmente, os críticos da educação formal estavam certos sobre uma coisa: o currículo e o MBA perderam seu peso.

Qual é o próximo passo?

Startups afirmam que estão relutantes em contratar acadêmicos e estudantes de MBA, porque eles não aprendem as técnicas que os empreendedores de hoje usam de verdade.

Mais e mais escolas de negócios estão revendo os seus programas. Eles estão enfatizando o empreendedorismo, proporcionando experiências mais flexíveis, personalizadas e globais.

E isso está funcionando.

Algumas startups estão se aquecendo para os MBAs. No entanto a educação empresarial ainda tem um longo caminho a percorrer.

A próxima geração de líderes

Para começar, as habilidades de negócios deve ser acessível a muito mais gente. E o MBA é apenas uma gota no balde. Aparentemente, a grande maioria de nós não são muito bons, com ou sem MBA.

Dois terços das empresas norte-americanas relatam uma escassez persistente de líderes talentosos. E esse sentimento é mútuo. Apenas 30-40% dos gerentes estão preparados para lidar com crises.

Por um lado, isso é provavelmente resultado de falta de formação ou desenvolvimento dentro de suas empresas. E o pior é que agora, isso tudo pode ser tarde demais.

A próxima geração de competências

Muito da educação empresarial ainda é baseada em ideias desenvolvidas para o século XX. No entanto, o mundo mudou muito.

Assim, os líderes de negócios de hoje precisam de novas competências para o futuro. A inovação e o empreendedorismo são apenas o começo.

Ao mesmo tempo, as empresas precisam de novas formas de pensar sobre o básico.

As organizações terão que se adaptar radicalmente suas culturas, estruturas, sistemas e processos, a fim de sobreviver à nova ordem mundial, garantem os consultores de segurança do Hay Group.

A próxima geração da educação

O mais importante é que a educação empresarial precisa ser mais prática. Se mover mais rápido, os líderes tendem a tomar mais decisões com informações mais relevantes.

O comportamento do consumidor, as equipes multiculturais, os mercados globais e os dilemas éticos são complicados, confuso e imprevisíveis.

Eles não se encaixam perfeitamente nos livros ou nos estudos de caso. Assim, os programas de MBA estão começando a criar experiências cuidadosamente treinadas, onde você realmente tem que entregar um produto ou uma solução, como parte de uma equipe e aplicar as habilidades de liderança e gestão nessa equipe.

No entanto, mercados, clientes e concorrentes estão em constante evolução. Para acompanhar a aprendizagem nos negócios também é preciso mudar a partir de um evento ocasional, uma atividade contínua e persistente.

Velocidade, agilidade e capacidade de adaptação tornaram-se requisitos para empresas de todos os tamanhos.

Não importa o quão lean ou inovadoras são, no entanto, a maioria das empresas não conseguem sustentar o crescimento. Portanto, a educação empresarial não pode desaparecer.

Na verdade, agora ela é mais importante do que nunca.

___

Este artigo foi adaptado do original, “If MBAs are useless, we’re all in big trouble”, do Quartz.

Comente este artigo

Populares

Topo