X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Novidades pela net

O básico do básico sobre economizar grana


O que escreverei nas próximas linhas é o básico do básico de um planejamento financeiro. Mas percebo que é dessa parte mais básica que as pessoas acabam dando menos atenção. Economizar aqui e ali é o que todas as pessoas desejam. Porém elas querem juntar dinheiro de uma hora para outra, como mágica! Elas querem economizar metade do salário, mas saem todos os dias da semana para comprar roupas e frequentar os melhores (e caros) restaurantes da cidade. Isso funciona para quem tem um salário (bem) acima da média, ou tem uma fonte de renda passiva boa. Agora, se você é uma “pessoa normal”, este é o artigo certo para você. Se você ganha um salário que apenas cobre suas despesas, mas que mesmo assim deseja alçar voos maiores e prazerosos, dê atenção aos meus truques e não se arrependerá. Estou prestes a fazer mais uma vez um “mochilão” pela Europa, o que despertou a curiosidade dos meus amigos. Eles ficam me questionando sobre a minha “mágica” para fazer isso acontecer. Conversando com eles, percebi que apesar de “entenderem” o meu planejamento financeiro, nenhum conseguia aplicá-lo de forma séria na sua vida. Tenho minhas teorias sobre o porque disso acontecer, mas isso é tema para outro texto. Por hora, vou mostrar como faço para minha conta não ficar no vermelho e ainda economizar para minhas férias internacionais.

LISTE TODAS AS SUAS DESPESAS FIXAS
Vamos partir do seguinte princípio. Sua renda é MAIOR do que a soma de todas as suas despesas fixas. Cartão de crédito, não é despesa fixa. Nas despesas fixas, entram o aluguel, as parcelas do carro, gastos com estacionamento mensal, TV a cabo, internet, etc. Liste todos os gastos que TODOS OS MESES são iguais ou que não tem muita alteração de um mês para o outro. Só um detalhe: água, luz, telefone, não entram nesta listagem.

“Mas, eu ganho R$3000 e a soma das minhas despesas fixas é R$3100″. Alguma coisa está errada. Provavelmente você está colocando gastos a mais em uma lista que não pertence a eles. De posse de todos os seus gastos fixos, liste em uma planilha os itens, valores e datas de vencimento. Fazendo isso, você terá um total de despesas que deverá ser subtraído da sua renda.

Com uma renda de R$3000 e pagando aluguel de R$800, assinatura de TV a cabo de R$50 e prestação do carro de R$500, resta apenas R$1650 para as outras despesas.

“SEQUE” SEUS GASTOS VARIÁVEIS
Aqui entramos com os gastos “cebola”. Aquelas faturas que, quando abrimos, começamos a chorar. Cartão de crédito, celular, telefonia fixa, guloseimas, etc. Precisamos economizar secando primeiramente estes gastos. Com certeza, compramos algumas coisas no cartão de crédito que são supérfluas. Coisas sem sentido ou que compramos em um impulso consumista. Precisamos ter muita atenção e definir o que secar e de que forma secar. Não estou recomendando que ninguém compre mais nada, mas quero lembrá-lo de sempre fazer uma pergunta para si antes de comprar: “Será que é mesmo necessária esta compra este mês ou posso esperar o próximo?” Se este mês você comprou uma calça nova, por que comprar os livros que estão na promoção? Ambos sabemos que a promoção vai voltar daqui a algumas semanas (e muitas vezes, MUITO melhor!).

Uma das coisas que fiz primeiramente foi “fracionar” minhas compras. Continuei comprando meus livros, porém ao invés de comprar todos os meses, passei a fazer de maneira trimestral. Acabo comprando novos títulos e vou escolhendo melhor o que realmente quero comprar. Intercalando com a compra de livros, compro alguma roupa que preciso. Fazendo desta maneira, deixo alguns meses de “buraco”, onde não compro nada e economizo uma boa grana.

“PREVEJA” GASTOS FUTUROS
Poucas pessoas têm este poder de ver o futuro. Mas você não precisa ser uma Mãe Dinah para prever algo tão simples. Mensalmente, quando faço a planilha de gastos do próximo mês, coloco um limite de quanto virão as contas “variáveis”. Coloco um limite para o cartão de crédito, um limite para o celular e um limite para as minhas guloseimas. Geralmente, coloco um valor que sei que é um limite, para eu sobreviver no restante do mês e o que gastar além, é totalmente supérfluo e pode esperar outro momento.

Preveja o quanto virá seu cartão de crédito e no seu celular. O cartão é mais fácil controlar, pois a maioria tem controle on-line e podemos saber o quanto temos do nosso “limite”. Use-o de forma inteligente e ao chegar ao valor máximo, não saia mais com o cartão e não o use até o próximo mês. O mesmo vale para o celular. Tenha noção de quanto gastar e de qual maneira gastá-lo. Agora, o mais complicado é o supermercado, por conta da inflação. Porém você consegue ter uma noção de valores comparando preços de diferentes supermercados.

Com base nestes valores, preencha sua planilha com os limites determinados, subtraindo o total do valor restante da sua renda. Lembrando que, se os gastos variáveis “extrapolam” a sua renda, o seu “secar” não foi bem feito e deve ser refeito no próximo mês. Fazendo esta conta, você terá a sua renda do mês.

Se restaram R$1650 das nossas despesas fixas e prevemos que pagaremos R$120 de celular, R$500 de cartão de crédito e R$300 de supermercado, nos resta como renda do mês, R$730.

CRIE UM ORÇAMENTO DIÁRIO
Com a sua renda do mês em mãos, é hora de criar seu orçamento diário. Com ele você saberá exatamente quanto terá disponível para gastar diariamente. A conta é simples. Pegue a sua renda do mês e divida pela quantidade de dias até o próximo salário. Lembre-se que a sua renda mensal não é o valor global da sua renda. Sua renda é obtida da subtração da sua renda total global, suas despesas fixas e seus gastos no futuro. Para este orçamento, eu utilizo os gastos que aparecem no dia-a-dia: combustível, happy hour com os amigos, futebolzinho com a rapaziada, etc. Fazendo esta conta eu sei exatamente o QUANTO eu POSSO gastar e gerencio COMO eu vou gastar o dinheiro. Sei também o quanto economizo indo para casa e fazendo outras atividades como caminhadas, corridas ou até mesmo lendo um livro ou assistindo um filme.

Seguindo o exemplo acima, temos que R$730 para 30 dias, dá um total de R$24 para utilizar como seu orçamento diário.

DEFINA BONIFICAÇÕES E METAS
Definir um orçamento, secar gastos e ter a responsabilidade de excluir alguns eventos da agenda, para poder viver um mês financeiramente melhor, não é fácil. Até isto tornar-se uma parte automática da sua vida, leva um tempo relativamente longo. Eu criei metas para atingir determinado valor no meu saldo de poupança. Definia uma meta que iria economizar R$300 e depositar R$200 deste total. Conseguindo esta meta eu usava os R$100 para alguma outra atividade fora do meu orçamento diário. Caso “sobrasse um troco”, estudava onde poderia aplicá-lo na poupança (que atingiria meu valor total mais rapidamente) ou no orçamento diário.

Com as metas definidas, você ganha uma “razão” para economizar e, cumprindo seu objetivo, ganha o prêmio que você definiu. Assim, todo este processo de economizar grana fica mais leve e valendo mais a pena.

CONCLUSÃO
É desta maneira que trabalho meu salário e minhas contas desde o final de 2009. Coloquei valores fantasias para facilitar o entendimento geral da ideia. Como disse no início, este é o básico do básico de um planejamento financeiro. Muitas pessoas entendem o conceito, mas o ignoram achando que demorará muito tempo para trazer resultados. Este plano de ação funciona em um mês, a partir do momento em que você começar a secar as suas despesas variáveis e começar a pensar nos valores diários que o seu orçamento permite gastar.

Tenha foco, economize o seu dinheiro, gerencie seus gastos e tenha uma visão mais completa do seu mês e da sua renda.

Ouça este post ou faça download do áudio

Gostou deste artigo? Então compre nosso e-book
e saiba como montar uma empresa do zero sem investir quase nada:
Marco Zero
Acompanhe nosso trabalho:
rsstwitterfacebooklinkedinyoutubeyoutubeninggmailpaypal

fbd dFjJBTxaM

Via RSS de Insistimento

Leia em Insistimento

Comente este artigo
Comente este artigo

Populares

Topo