X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

142957-636246762665487770-16×9
Liderança

Hierarquia & Resultados

Reduzir os níveis hierárquicos, além de ser uma prática mundialmente aceita em tempos de crise, demonstra ser uma tendência mundial.

Inicio esse artigo com o bê-á-bá da hierarquia de uma empresa organizada, classificando-a com base nos 03 níveis hierárquicos: Institucional (Presidentes e Diretores), Intermediário (Gerentes) e Operacional (Supervisores).

Reduzir os níveis hierárquicos, além de ser uma prática mundialmente aceita em tempos de crise,… Click To Tweet

Reduzir os níveis hierárquicos, além de ser uma prática mundialmente aceita em tempos de crise, demonstra ser uma tendência mundial. Porque, quando acionada, as organizações constatam uma redução imediata de custos e obtém maior facilidade para implantar mudanças estratégicas de rumo e/ou mudanças na cultura empresarial.

Importante notar que o alvo principal de cortes ocorre nos níveis superiores. Cortes no nível básico de liderança só acontecem se há dispensa em massa de liderados ou, estrategicamente, quando há necessidade revitalizar a liderança. Ouso, por isso, deduzir que o 1º nível de liderança – o Operacional – é considerado, consciente ou inconscientemente, como o grande responsável pelos bons e pelos maus resultados de uma empresa.

Creio que nos dias de hoje já posso afirmar que o turnover e o absenteísmo de funcionários, alto ou baixo, também são decorrência do desempenho do Supervisor (chefe direto), seja por ação, seja por omissão. Lembro-me, aqui, do velho ditado “As pessoas não desistem dos empregos ruins, elas desistem dos chefes ruins”.

Recomendo às minhas consultadas, recorrente e prioritariamente, investir em seleção e treinamento. Ou seja, um líder bem selecionado e bem qualificado exercerá bem sua função, a não ser que ele – eticamente – “apronta para ser mandado embora” ou se ele estagnou na abominável Zona de Conforto. Cabe ao Gerente – o “Supervisor dos supervisores” – mudar esse panorama, desde que esteja sempre atento e apto a cumprir sua função.

Você não precisa ter carisma (um dom divino?) para chegar lá, só precisa ter a “segurança de ser o que de fato é”. Estar apto a cumprir sua função passa pelo seu:

  1. vital nível de comprometimento.
  2. bom conhecimento teórico.
  3. conhecimento prático adquirido no cotidiano.
  4. autoconhecimento (os 04 condutores à sua Autorrealização).

Em nível de qualificação profissional, verifique se 03 pressupostos básicos fundamentais da IE (Inteligência Emocional) – a oportunidade, o ambiente propício e o tempo necessário – existem no seu trabalho. Caso existam, verifique se estão acessíveis a todos da empresa. Se inexistirem e/ou se inacessíveis, MUDE ISSO JÁ!

Claro que é possível desenvolver características resilientes em pessoas, uma premissa da IE. Mas, o Amor às pessoas e o prazer obtido no que você faz, também são premissas básicas fundamentais. O Conceito de inteligência emocional ainda contempla a capacidade que as pessoas precisam ter para se adaptar às ‘N’ mudanças ocasionais.

Sei que há pessoas que contratam e promovem profissionais para sua equipe que “não representem uma ameaça à sua carreira”. Por isso, recalcados no seu medo de ser, só selecionam candidatos que não sejam mais bonitos / mais cultos / mais velhos / mais ____ do que ele ou ela. A esses eu recomendo que encarem a vida hostil tal qual ela se apresenta, até para demonstrar que já entendeu que a maior fragilidade humana e o mal maior é o medo…

Embasado no que Lee Iacocca (ex-CEO da Ford e Chrysler) disse: “Sempre contratei pessoas mais inteligentes do que eu, porque acredito que algumas das melhores ideias e iniciativas vêm de baixo para cima dentro de qualquer corporação”. Afirmo que eu também só quero jogar com quem seja melhor do que eu, visando elevar o nível do meu jogo.

“Sempre contratei pessoas mais inteligentes do que eu, porque acredito que algumas das melhores ideias e iniciativas vêm de baixo para cima dentro de qualquer corporação”

Digno e capacitado para ocupar um cargo de liderança é quem já entendeu que a prática da Humanização deve ser observada e ampliada por profissionais ‘humanizados’ que gerem oportunidades, criem ambientes propícios e deem o tempo necessário para o desenvolvimento das aptidões de cada liderado. Isso é o que significa ser Coach!

Ser coach é ser empolgante, vibrante e inesquecível. Ser um líder coach é ter uma visão do coaching aplicada à liderança. Ser o coaching de uma empresa, hoje em dia é algo comum. Incomum é entender que fazer coaching é ser o líder que motiva e instrui / instrui e motiva em tudo, ao mesmo tempo, o tempo todo.

A Ética deve ser o princípio de vida de qualquer organização. Porque Ética, além de qualquer definição, é ocupar-se com a felicidade pessoal e coletiva. A valorização constante do ser humano eleva a produtividade e gera melhores resultados, bem como diminui o turnover e aprimora a qualidade dos serviços prestados por seres felizes.

Seja o visionário que acredita no seu potencial e no potencial existente em cada indivíduo de sua equipe

Seja o visionário que acredita no seu potencial e no potencial existente em cada indivíduo de… Click To Tweet

Seja o visionário que acredita no seu potencial e no potencial existente em cada indivíduo de sua equipe; mantenha a lembrança das árduas batalhas que enfrentou para “chegar cá”; mantenha-se bom praticando o bem.

Moracy das Dores, um Mercadólogo reconhecido pelo MEC e especialista em Marketing, Comunicação e Vendas. Implantou o 1º Call Center do Brasil, há 31 anos – Atual Consultor de Marketing da Trade Call Service. Escreveu e publicou dois livros: “Para sua vida melhorar, basta saber negociar” e “O Objetivista e a nova forma de ser e de estar no planeta Terra”. Outros Artigos publicados: www.tradecall.com.br/site/blog/ (Blog Trade Call Service).

Comente este artigo

Populares

CONTEÚDO EXCLUSIVO. TÁTICAS UTÉIS. EMPREENDEDORISMO COMO NENHUM OUTRO.

Para fechar esta janela, clique na área escura.

CLOSE
Topo