X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

É possível crescer mesmo em momentos de crise.
Motivação & Inspiração

Obstáculo ou Oportunidade?

É possível crescer mesmo em momentos de crise.


Internet Trends 2019Powered by Rock Convert

A grande maioria das pessoas foi condicionada a acreditar que tempos de crise significa que não há oportunidade para o crescimento ou para o sucesso. Mas às melhores empresas se destacam nas épocas mais difíceis. Empresas como a Disney, a Apple, a Exxon e Microsoft foram fundadas em um momento no mundo dos negócios onde a maioria das empresas se encontrava em tempos de crise. Muitas outras empresas têm se aproveitado da crise como uma oportunidade para se reinventarem, inovarem e expandir sua área de atuação.

O fato é que a única constante que encontramos em meio à crise é a mudança. E essa mudança não inclui somente mudanças no ambiente econômico, mas as mudanças na concorrência, tecnologia, cultura, clientes e funcionários. Se você acredita que as condições ou as circunstâncias podem determinar seu futuro, então você está destinado ao fracasso.

As melhores oportunidades vêm em tempos de máximo pessimismo. Mas é preciso antecipação, eficiência, otimização, inovação e criatividade para poder tirar proveito das oportunidades. Isso fez a diferença na Amazon, Netflix, Napster e iTunes. Não estamos apenas falando sobre criação de valor, é sobre como ajustar, evoluir e adotar os princípios e estratégias necessárias para levar sua carreira ou sua empresa ao nível máximo de desenvolvimento. O mercado pode estar em crise, mas a concorrência de qualquer empresa ou indústria rentável é feroz. O ciclo de vida de uma ideia ou até mesmo de produtos é exatamente o intervalo de tempo entre o momento em que venha um conceito inovador em um piscar de olhos algo inovador e criativo pode tragar seu negócio caso inovação não esteja em seus planos.

Imagine a Starbucks. Enquanto nós pensamos geralmente na gigante do café uma multinacional altamente rentável, eles são, na verdade, o exemplo perfeito de uma empresa que descobriu não apenas como sobreviver dificuldades económicas, mas como prosperar.

No final do segundo trimestre de 2008, o lucro trimestral da Starbucks havia caído. O lucro operacional global havia afundado 26% e os números de vendas nas lojas da empresa foram negativos pela primeira vez na história da marca. Enquanto isso, os consumidores estavam apertando-se e limitando os seus gastos com a recessão global. Em julho de 2008, Starbucks perde dinheiro pela primeira vez, reportando um prejuízo líquido de US $ 6,7 milhões para o terceiro trimestre. No quarto trimestre, os lucros mergulharam 97% e o lucro para o ano caíram 53%. Como crise financeira alastrada por toda a Europa e Ásia, números de vendas da Starbucks estavam em um negativo de 8%, efetivamente tornando modelo econômico existente Starbucks completamente inepto.

Neste ponto, o chairman da Starbucks, presidente e CEO, Howard Schultz retornou após oito anos longe do negócio, com a única missão, a de ajudar sua empresa;

Internet Trends 2019Powered by Rock Convert

Agora imagine que você estivesse no lugar de Schultz. O que você faria nessa situação? Como você iria orientar a empresa através da pior crise financeira em décadas?

Quando Schultz voltou no meio da crise, ele cortou cerca de US $ 600 milhões em custos, e por três horas em 26 de fevereiro de 2008, ele orquestrou o fechamento de mais de 7.000 lojas americanas Starbucks para uma sessão de reciclagem para os funcionários.

“Isto não é sobre o treinamento”, ele disse a seus funcionários. “Isto é sobre o amor e compaixão e compromisso que todos nós precisamos ter para o cliente.”

Schultz utilizava de forma eficaz a recessão como o impulso para voltar a se concentrar em seu core business. Ele tinha conseguido reacender o amor para seus clientes, Schultz permitiu que a crise criasse um avanço, e encontrou maneiras de inovar, adaptar e evoluir.

A crise é muito mais aparente quando a vivemos, quando a respiramos e quando acreditamos que ela pode nos derrubar. Não estamos falando sobre a crise, mas sobre criar descobertas em seu negócio, em primeiro lugar se concentrar em sua mente e, em seguida, encontrar as ferramentas para inovar, adaptar e evoluir em qualquer situação econômica. É hora de levar o seu negócio ou sua carreira para o próximo nível.

__

DIEGO VACILOTTO – EMPREENDEDOR
Formado em marketing pelo Grupo Educacional UNIESP, foi cabo do Exército durante 4 anos, atuou no primeiro contingente da força pacificação no Complexo do Alemão no Estado do Rio de Janeiro, desenvolvendo atributos como disciplina, operações de risco e liderança.

Internet Trends 2019Powered by Rock Convert
Comente este artigo

Populares

Topo