X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Startups

A arte da evangelização

A arte da evangelização

Um evangelizador pode levar um marketing da sua empresa para outro patamar. Veja porque considera-lo


Um evangelizador pode levar um marketing da sua empresa para outro patamar. Veja porque considerá-lo

Um grande produto precisa de um grande defensor. Você já pensou em ser ter um na sua empresa?

Um grande produto precisa de um grande defensor. Você já pensou em ser ter um na sua empresa?

Há muito tempo atrás Guy Kawasaki era um revolucionário na Apple. Seu cargo era evangelista de software. Sua responsabilidade era evangelizar o Macintosh para desenvolvedores de software.

Mais tarde, título se tornou chefe de evangelismo e a responsabilidade era evangelizar o Macintosh para quem queria aumentar a sua produtividade e criatividade.

Após sair da Apple, Guy fez muitas coisas: foi autor, palestrante, empresário, investidor, conselheiro, se tornou pai.

O Macintosh mudou o mundo. Ele democratizou os computadores. O Google mudou o mundo. Ele democratizou informações. O eBay mudou o mundo. Ele democratizou o e-commerce. Depois de 2 décadas de procura, Guy Kawasaki encontrou o Canva.

Ele pode mudar o mundo através da democratização do design, e é por isso que ele é o chefe de evangelismo do Canva.

Neste espírito, vamos falar um pouco mais sobre como evangelizar um produto ou serviço.

#1. Torne-o grande

É muito difícil evangelizar porcaria. É muito mais fácil evangelizar uma coisa grande. Um ótimo produto é o ponto de partida da evangelização. Ótimas coisas possuem 5 características em comum:

  • Profundidade. Isso significa que seu produto ou serviço possui muitos recursos, porque você já previu de que as pessoas precisavam.
  • Inteligência. Quando as pessoas usam o seu produto ou serviço, eles veem alguém inteligente entende o seu problema ou dor.
  • Completo. Um produto completo é cercado de tudo que você precisa.
  • Capacitação. Um produto ou serviço capacita as pessoas, porque as fazem ser melhores. Coisas realmente grandes não brigam com você, mas ajuda a torna-lo melhor.
  • Elegante. Isso significa que seu produto ou serviço não é apenas funcional, mas também é bem projetado para que as pessoas possam usá-lo facilmente e rapidamente.

#2. Posicione-o como uma causa

Um produto ou serviço, não importa quão grande, é uma coleção de peças ou trechos de um código.

A causa, pelo contrário, muda uma vida. Não é suficiente fazer um ótimo produto ou serviço, você também precisa posicioná-lo e explicá-lo como uma maneira de melhorar as vidas. Steve Jobs não posicionava um iPhone como 188 dólares em  peças. Evangelistas precisam aproveitar a superioridade moral e transcender a troca de dinheiro por bens e serviços.

#3. Ame a causa

Ser evangelista não é um cargo. É um modo de vida. Isso significa que os evangelistas devem amar o que evangelizam.

Não importa quão grande seja a pessoa, se ela não amar a causa, ela não pode ser uma boa evangelista. Se você não ama, não evangelize.

Isso tem implicações: uma boa educação e experiência de trabalho não são suficientes. É muito importante que um evangelista ame o produto ou serviço.

#4. Cuidado com o seu posicionamento

Não descreva o seu produto usando termos que o elevam como revolucionário, mudança de paradigma, e atalho para obstáculos.

O Macintosh não era o terceiro paradigma na computação pessoal. Era simplesmente um aumento (poderoso) na produtividade e criatividade de uma pessoa em um computador.

As pessoas não compram revoluções. Eles compram aspirinas para solucionar a dor ou vitaminas para complementar as suas vidas, de modo a acertar qualquer definição de produto.

#5. Procure agnósticos, ignore os ateus

É muito difícil converter alguém a uma nova religião, quando ele adoram outro deus. A pessoa mais difícil de se converter para o Macintosh era alguém que adorava o MS-DOS.

Já a pessoa mais fácil era alguém que nunca havia usado um computador pessoal antes. Se uma pessoa não fisgar seu produto ou serviço depois de 15 minutos, corte suas perdas e siga em frente.

#6. Vamos deixar as pessoas fazerem um test drive na causa

Evangelistas acreditam que seus potenciais clientes são espertos. Portanto, eles não os martelam com anúncios e promoções.

Em vez disso, fornecem meios para que as pessoas façam um test drive de seus produtos e, em seguida, decidir por si mesmos. Evangelistas acreditam que seus produtos são bons, tão bons que eles não têm medo de permitir que as pessoas experimentem antes de comprar.

#7. Aprenda a fazer uma demonstração

Evangelistas que não podem fazer uma grande demonstração são uma contradição. Se você não pode fazer uma grande demonstração de seu produto ou serviço, você não pode ser um evangelista para ele.

Demonstrar deve ser algo natural, e mesmo ser involuntário, como respirar. Isso é o que fez o Steve Jobs ser o maior evangelista do mundo para os produtos da Apple.

Evangelizadores sabem a importância de demonstrarem seus produtos.

Evangelizadores sabem a importância de demonstrarem seus produtos.

#8. Forneça uma segurança, o primeiro passo fácil

O caminho para a adoção de uma causa deve ter um terreno escorregadio e então você remove todas as barreiras.

Exemplos:

  1. Renovar uma infraestrutura de TI inteira não deveria ser necessária para ter um novo computador.
  2. Acorrentar-se a uma árvore não deve ser necessário para formar um grupo ambiental.
  3. Falar uma língua estrangeira e possuir um teclado especial não devem ser necessários para se inscrever em um site.

#9. Ignore títulos e pedigrees

O elitismo é o inimigo de evangelismo. Se você quiser ter sucesso como um evangelista, ignore títulos e pedigrees das pessoas, aceite as pessoas como elas são, e trate a todos com respeito e bondade.

A experiência mostra que um secretário, um auxiliar administrativo, estagiário, um funcionário de meio-periodo, ou trainee são mais prováveis de abraçar novos produtos e serviços que um CXO ou vice-presidente.

#10. Nunca minta

Mentir é moralmente e eticamente errado. A mentira também nos leva mais energia, porque quando você se mente, é necessário manter o controle do que você diz.

Se você sempre diz a verdade, então não há nada para acompanhar. Evangelistas evangelizam uma algo grandioso, para que eles não precisem mentir sobre os recursos e benefícios, e evangelistas sabem o que fazem, para que eles nunca precisem mentir para cobrir a sua ignorância.

#11. Lembre-se de seus amigos

Seja gentil com as pessoas durante o caminho, porque você vai vê-los novamente.

Uma das pessoas mais propensas a comprar um Macintosh era um proprietário de Apple II. Uma das pessoas mais propensas a comprar um iPod era um proprietário do Macintosh. Uma das pessoas mais propensas a comprar tudo o que a Apple lança é um dono de iPhone. E assim vai, por isso, lembre-se seus amigos.

Um evangelista, ou um vendedor?

Muitas vezes as pessoas me perguntam qual é a diferença entre um evangelista e um vendedor.

Aqui está a resposta: um vendedor tem seus próprios interesses no coração: comissão, alcançar a meta, fechar o negócio.

Um evangelista tem os melhores interesses das outras pessoas no coração: “tente isso, porque vai ajudá-lo”. Mantenha essa diferença em mente, e você estará no caminho certo.

___

Este artigo foi adaptado do original, “The Art of Evangelism”, do Canva.

Comente este artigo

Populares

Topo