X

Busque em mais de 20.000 artigos de nosso acervo.

Marketing de Conteúdo

A diferença entre tráfego e audiência

A diferença entre tráfego e audiência

Você sabe a diferença entre tráfego e audiência? Isso influencia diretamente no seu desempenho online.


Você sabe a diferença entre tráfego e audiência? Isso influencia diretamente no seu desempenho online.

O que é mais importante para você: tráfego ou audiência?

O que é mais importante para você: tráfego ou audiência?

Uma pequena loja de calçados, em Austin, detêm o mais poderoso império editorial no multi bilionário mercado de calçados esportivos.

A NiceKicks.com é lida por 3,7 milhões de visitantes por mês, de acordo com seu editor, Matt Hafhill.

Ao contrário de um típico blog onde os leitores visualizam 1 ou 2 histórias antes de partirem, os visitantes da NiceKicks.com visualizam mais de 8 páginas em média por visita.

E o site tem uma pegada social maior do que as startups de tecnologia famosas como MapMyRun, Dell e RetailMeNot.

A NiceKicks tem tráfego, com certeza. Mas, mais importante, ela tem uma audiência – um grupo de engajados, fiéis leitores que passam o tempo lendo seu conteúdo e retornando ao local com frequência.

É a audiência, não o tráfego, que é o Santo Graal para os profissionais de marketing. E depois de receber perguntas frequentes sobre a diferença entre os 2, aqui vai um pouco do que podemos aprender.

A audiência

O desenvolvimento da audiência representa uma abordagem totalmente nova para os profissionais de marketing.

Nos primeiros dias do marketing digital, o mundo foi dividido entre os profissionais de marketing baseados em impressões e os profissionais de marketing  focados no desempenho (com base na conversão).

A audiência estava no meio disso tudo.

O Marketing de conteúdo tem uma ascensão popular graças a isso. O objetivo do marketing de conteúdo é desenvolver um público fiel, criando uma relação mais profunda, mais sustentada com os consumidores através de experiências de conteúdo que realmente importam para eles.

A audiência não é conquistada por simplesmente publicar alguma coisa.

Ela é conquistada por colocar uma marca no centro de uma comunidade com um toque elegante.

Público conquistado versus público pago

Há uma divisão acontecendo atualmente entre profissionais de marketing movidos a anúncios e os movidos a engajamento.

Os profissionais orientados a engajamento entendem que o público real é diferente (e exponencialmente mais valioso) do que simplesmente o tráfego.

Medir o público também é diferente do que medir o tráfego. Isso vai ajudas as pessoas a entender como a verdadeira audiência se parece:

  • Os visitantes que realmente leem o seu conteúdo são os que ficam por mais de 1 minuto.
  • Visitantes que clicam além do seu primeiro artigo e vão mais fundo (2, ou mais exibições).
  • Os visitantes que se convertem (se você tem um formulário de captura de leads).
  • Visitantes que compartilham.
  • Visitantes que retornam.

Observe que os visitantes únicos não estão incluídos na lista acima.

Essas são métricas de engajamento que podem determinar um público verdadeiro. Nos últimos 18 meses, temos visto até mesmo publicações experientes começando a redefinir as suas métricas de engajamento, percebendo que o tráfego-sozinho é uma medida pobre de sucesso.

O público pago, sem a intenção de converter-se ao público conquistado é uma farsa, e vai levar muitos milhares de dólares pelo ralo.

A construção de um público leal, deve ser o propósito de cada profissional de marketing hoje.

Desenvolvendo uma audiência leal

Imediatamente depois de explicar a diferença entre o tráfego e audiência, e a diferença entre o conquistado e pago, vem o “como fazer”.

Aqui estão as 5 formas mais eficazes para o desenvolvimento de uma audiência fiel.

Uma audiência leal é crucial para que suas iniciativas funcionem.

Uma audiência leal é crucial para que suas iniciativas funcionem.

#1. Encontre o que seu público quer ler

Uma das táticas mais eficazes do BuzzFeed para gerar conteúdo viral é observar o Reddit para conhecer os tópicos populares, e agregar o que encontram.

Sua equipe usa a internet para encontrar ideias de conteúdo que já ganharam força, e em seguida, reformata para viralizar ao máximo.

Não sabe com o que seus clientes se preocupam? Pergunte aos seus vendedores, ao seu pessoal de atendimento. Participe das visitas, juntamente com os vendedores.

Você também pode usar ferramentas como UberSuggest para encontrar palavras-chave que as pessoas buscam muitas vezes juntamente com suas pesquisas.

#2. Pare de chatear seus leitores

Conteúdo chato é chato de escrever e chato de ler. Encontre um ângulo único, escreva com profundidade ou desenvolva uma voz concisa e fácil de consumir.

Perez Hilton fez seu nome com os comentários sarcásticos em fotos de celebridades. Irreverente, rude, cruel? Talvez – mas nunca chato.

Os cérebros humanos são adaptados para pensar através histórias. Quer saber a história por trás de cada modelo principal de sapato? A NiceKicks pode dizer qual jogador da NBA a inspirou e a maioria das coisas sobre a sua história.

#3. Não se esqueça do visual

Praticamente todos os post na NiceKicks.com incluem imagens detalhadas de alta qualidade. No post que comparava o Nike Air Jordan 3 de 2007 com o modelo de 2013, a NiceKicks apresentou mais de 20 imagens do tênis.

Passe algum tempo no Facebook ou Buzzfeed e você verá que alguns dos conteúdos mais populares são narrativas construídas em torno de imagens.

#4. Escreva para facilitar a leitura

Use parágrafos curtos, listas, coisas rápidas.

As pessoas vão ter preguiça de ler algo maçante e nada atraente. Por isso elas vão embora.

#5. Invista em títulos grandiosos

Quando a NiceKicks.com escreve seu título, falam sobre o que os clientes mais querem saber: a data de lançamento de um tênis.

O título é simplesmente o nome do sapato + “data de lançamento”.

Como resultado, quando a NiceKicks.com compete por atenção contra a FootLocker.com (na pesquisa do Google, Facebook, Pinterest, etc), adivinha qual o título é mais provável conseguir o clique e se classificar melhor?

Pois é, você adivinhou.

E agora, o que fazer?

Siga essas dicas e lembre-se que estar obcecado com um número crescente de tráfego não significa nada se você realmente não tem uma audiência para suportá-lo.

___

Este artigo foi adaptado do original, “The difference between traffic and audience”, do The Next Web.

Comente este artigo

Populares

Topo